Experimentação do origami no ensino da geometria

Palavras-chave: Metodologias Ativas, Geometria, Origami, Ensino-aprendizagem

Resumo

Cada vez mais professores têm buscado metodologias ativas em sala de aula, o que tem se apresentado como uma necessidade frente aos múltiplos estímulos recebidos pelos alunos no cotidiano. A geometria é considerada um dos conteúdos da matemática em que se verifica dificuldades na aprendizagem. Por essa razão, o uso de metodologias ativas pode auxiliar para uma melhor compreensão e visualização desse conteúdo. Pensando nisso, foi realizado um experimento com origamis em sala de aula, visando testá-los no processo ensino-aprendizagem desse conteúdo, por meio de um estudo de caso. Comparamos a compreensão dos alunos frente aos conceitos trabalhados em duas turmas do sexto ano do Ensino Fundamental da mesma escola, em um mesmo contexto socioeducacional, em que foram utilizadas duas metodologias distintas: para uma das turmas, a metodologia ativa com o uso dos origamis; e para a outra turma, o método tradicional. Por meio dessa atividade observamos que houve um melhor aproveitamento no aprendizado com o uso dos origamis, no contexto educacional aplicado.

Biografia do Autor

Charlene de Farias Dias, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
Na área da Educação matemática iniciei através da Licenciatura matemática no IFRS campus Bento Gonçalves, o origami entrou na minha vida quando ainda criança. Na especialização houve a oportunidade de realizar uma pesquisa do origami no ensino da geometria com modelos mais ludicos. Pois como já trabalhava com o origami em sala de aula comos origamis, fizemos um projeto de extensão, que mais tarde foi convidado pelo MEC para compor a semana de ciência e tecnologia de Brasília. Sendo desta forma finalizada a pesquisa com um artigo.

Referências

ASCHENBACH, Maria Helena Costa Valente. As dobraduras de papelinho. São Paulo: Editora Nobel, 1989.

BARBOSA, Eduardo Fernandes; MOURA, Dácio Guimarães de. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do Senac, v. 39, n. 2, p. 48-67, Rio de Janeiro, maio/ago., 2013.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf. Acesso em: 21 set. 2009.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira. Resultados do Saeb 2017. Disponível em: http://www.inep.gov.br. Acesso em: 22 maio 2019.

CECCO, Bruna Larissa; CARLOS, Luciano; WAPPLER, Fernanda Paula. Origami no processo de ensino-aprendizagem. In: ESCOLA DE INVERNO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 3., ENCONTRO NACIONAL PIBIB – MATEMÁTICA 2012, 1., 2012. Disponível em: http://w3.ufsm.br/ceem/eiemat/Anais/arquivos/PO/PO_Cecco_Bruna.pdf. Acesso em: 18 dez. 2017.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação matemática da teoria à prática. 23. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 45. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GAY, Mara Regina Garcia (Org.). Manual do professor. Projeto Araribá matemática 6º ano. 4. ed. São Paulo: Moderna, 2014.

LEROY, Luciana. Aprendendo geometria com origami. 2010. 79 f. Monografia (Especialização em Matemática para Professores do Ensino Básico) – Pós-graduação em Matemática do Departamento de Matemática, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

MANSO, Roberta Lucena Duarte. Origami: uma abordagem pedagógica para o ensino da geometria no 9º ano. 2008. 258 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Departamento de Educação, Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa, 2008. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/1282/1/19220_ulfc091286_tm_Origami_Uma_Abordagem_Pedagogica_para_o_Ensino_de_Geometria_no_9%C2%BA_Ano.pdf. Acesso em: 12 maio 2018.

NISHIDA, Silvia Mitiko. Ensinando ciências através do Origami: Orientação de outra natureza. Universidade Paulista Julio de Mesquita Filho, UNESP, 2009. Disponível em: http://www2.ibb.unesp.br/Museu_Escola/Ensino_Fundamental/Origami/Documentos/indice_origami.htm. Acesso em: 12 de maio de 2018.

RANCAN, Graziele; GIRAFFA, Lucia Maria Martins. Geometria com origami: incentivando futuros professores. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 9., 2012. Disponivel em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/8688. Acesso em: 18 dez. 2017.

SKOVSMOSE, Ole. Um convite a educação matemática crítica. In: FIGUEIREDO, Orlando de Andrade. Perspectivas em educação matemática. Campinas, SP: Papirus, 2014.

VIEIRA, Magnum Freire. A arte do origami no ensino de geometria: um estudo de caso no Projovem Adolescente. 2012. 68 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Matemática) – Centro de Ciencias Tecnológicas, Universidade Estadual da Paraiba, Campina Grande, 2012.

Publicado
2019-07-01
Seção
Ensino de Matemática