O ensino de equações do primeiro grau à luz da Teoria da Aprendizagem Significativa: uma proposta sobre a noção de equivalência como conceito subsunçor

  • Viviane Beatriz Hummes Universitat de Barcelona (UB), Barcelona, Catalunha
  • Adriana Breda Universidad Nacional de Educación (UNAE), Azogues, Cañar
  • Márcia Rodrigues Notare Meneguetti Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, Porto Alegre, RS
Palavras-chave: Equações do Primeiro Grau, Aprendizagem Significativa, Equivalência

Resumo

Este trabalho tem a intenção de apresentar alguns resultados de um estudo sobre a utilização do conceito de equivalência como conceito subsunçor, fundamental para o desenvolvimento da Aprendizagem Significativa de equações do primeiro grau. À luz da teoria de David Ausubel, procuramos investigar, em uma turma do oitavo ano do Ensino Fundamental, se atividades propostas por um Objeto Digital de Aprendizagem, que utiliza a balança de dois pratos como suporte representacional, podem funcionar como organizadores prévios para facilitar a Aprendizagem Significativa dos estudantes. A análise das atividades realizadas demonstrou que a noção de equivalência existente em uma equação pode ser considerada um conceito subsunçor necessário para ancorar a aprendizagem de equações do primeiro grau e, desta forma, propiciar a Aprendizagem Significativa dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Viviane Beatriz Hummes, Universitat de Barcelona (UB), Barcelona, Catalunha
Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e mestrado em Programa de Pós Graduação em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014). Atualmente é professor titular da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Foi professor do Instituto TIM, no Projeto o Círculo da Matemática do Brasil, no qual atuou na formação continuada de professores dos anos iniciais e de Matemática. Já trabalhou na produção, avaliação e desenvolvimento de materiais didáticos para o Banco Internacional de Objetos Educacionais do Ministério da Educação. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: projetos de aprendizagem, aprendizagem significativa e tecnologias digitais de aprendizagem.
Adriana Breda, Universidad Nacional de Educación (UNAE), Azogues, Cañar
Doutora em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com período de doutorado sanduíche realizado na Universitat de Barcelona (UB), Espanha (Financiado pelo programa PDSE, CAPES). Possui Mestrado em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Graduação em Licenciatura em Matemática e Bacharelado em Ciências Atuariais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atuou como docente na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), Brasil; docente e pesquisadora na Universidad de Los Lagos, Chile e na Universidad Nacional de Educación (UNAE), Equador. Atualmente é professora colaboradora no Máster Profesional de Formación de Profesores de Secundaria en Ecuador da Universidad de Barcelona, Espanha. Também atua como colaboradora nos projetos de pesquisa: Etnomodelagem na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC, Ilhéus, Bahia), Formação de professores na Universidad de Alicante (UA, Alicante, Espanha) Desenvolvimiento da competência em análise em didáctica na Universidad de Barcelona (UB, Barcelona, Espanha). É membro do Comité Latinoamericano de Educación Matemática (CLAME) e revisora de periódicos relevantes da área como: Bolema, International Journal of Science and Mathematics Education, Educational Studies in Mathematics, Eurasia Journal of Mathematics Science and Technology Education, entre outros.
Márcia Rodrigues Notare Meneguetti, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, Porto Alegre, RS
Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), mestrado em Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001) e doutorado em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Tem experiência na área de Educação Matemática, em especial, no uso das tecnologias digitais na Educação Matemática. Atua no curso de Licenciatura em Matemática da UFRGS e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática da UFRGS.

Referências

AUSUBEL, David Paul; NOVAK, Joseph Donald; HANESIAN, Helen. Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

DANIEL, José Anísio. Um estudo de equações algébricas de 1° grau com o auxílio do software Aplusix. 2007. 117 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

FREITAS, Marcos Agostinho de. Equação do 1º grau: métodos de resolução e análise de erros no Ensino Médio. 2002. 137 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2002.

GRAVINA, Maria Alice; BASSO, Marcus Vinicius de Azevedo. Mídias digitais na Educação Matemática. In: Matemática, Mídias Digitais e Didática – tripé para formação de professores de Matemática. Porto Alegre: UFRGS, 2012, p. 11-35.

HUMMES, Viviane Beatriz. Aprendizagem significativa de equações do primeiro grau: um estudo sobre a noção de equivalência como conceito subsunçor. 2014. 124f. (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

MOREIRA, Marco Antônio; SOUSA, C. M. S. G. De. Organizadores prévios como recurso didático. In: MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativo: fundamentação teórica y estratégias facilitadoras. Porto Alegre: UFRGS, 2003. P. 129-146.

MOREIRA, Marco Antônio. A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula. Brasília: Editora da UnB, 2006.

MOREIRA, Marco Antônio; MASINI, Elcie Salzano. Aprendizagem Significativa: a Teoria de David Ausubel. São Paulo: Centauro, 2011.

NICOLA, Luciane Becker; RODRIGUES, Alessandra Pereira. Objetos de aprendizagem como potencializadores no estudo da Biologia. Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 9, n. 1, jul. 2011.

PONTE, J. P. O estudo de caso na investigação em Educação Matemática. Quadrante, v. 3, n. 1, p. 3-18, 1994.

TELES, Rosinalda Aurora de Melo. A relação entre aritmética e álgebra na Matemática escolar: um estudo sobre a influência da compreensão das propriedades da igualdade e do conceito de operações inversas com números racionais na resolução de equações polinomiais do 1º grau. 2002. 296 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.

USISKIN, Zalman. Concepções sobre a álgebra da escola média e utilização das variáveis. In: COXFORD, A.; SHULTE, A. (Org.). As idéias da Álgebra. São Paulo: Atual, 1995.

VALENTE, José Armando. Por que o computador na educação? In: Salgado, M. U. C. & Amaral, A. L (Eds). Tecnologia na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC: guia do cursista. Brasília: Ministério da Educação, 2008. p. 193-210.

Publicado
2018-08-04
Como Citar
HUMMES, V.; BREDA, A.; MENEGUETTI, M. O ensino de equações do primeiro grau à luz da Teoria da Aprendizagem Significativa: uma proposta sobre a noção de equivalência como conceito subsunçor. REMAT: Revista Eletrônica da Matemática, v. 4, n. 1, p. 102-114, 4 ago. 2018.
Seção
Ensino de Matemática