Reflexões sobre os métodos de validações de jogos virtuais no ensino e aprendizagem da Matemática

Autores

  • Luana Henrichsen Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Ibirubá, Ibirubá, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0003-0522-5666
  • Rodrigo Farias Gama Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Ibirubá, Ibirubá, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.35819/remat2020v6i2id3909

Palavras-chave:

Software Matemático, Jogos, Ferramenta Auxiliadora, Eficácia, Validações

Resumo

Este trabalho tem por objetivo realizar uma revisão bibliográfica sobre como são realizadas as validações dos jogos virtuais no processo de ensino e aprendizagem na disciplina de Matemática. Para isso, foi realizada uma pesquisa com as palavras-chave: jogos virtuais; Matemática; ensino, tanto em português quanto em inglês, por meio das plataformas Scopus, IEEE Xplore e Elsevier, buscando trabalhos compreendidos entre os anos de 2005 a 2019. Foram encontrados centenas de trabalhos e, após a leitura dos resumos, foram selecionados 20 deles. Entre esses trabalhos estavam artigos, dissertações, teses e livros que tratavam sobre jogos, tanto em esfera nacional, como internacional. Ao que compete aos selecionados, foram separados em três categorias: a) jogos tradicionais aplicados em qualquer disciplina; b) jogos tradicionais no ensino da Matemática; c) aplicação de jogos virtuais no ensino da Matemática. Nesta última categoria, foram selecionados quatro artigos para verificar quais as metodologias utilizadas para a validação dos dados obtidos a partir da aplicação dos jogos virtuais. Os resultados apontam que os dados, na maioria dos casos, são submetidos à estatística básica, como medidas de posição e frequência relativa. Além disso, apareceram dados analisados a partir do teste Shapiro Wilk, Usabilidade de Nielsen e Método do percurso cognitivo. Um dos artigos analisados não apresentou como foi desenvolvido o processo de validação dos dados. De modo geral, comprovou-se a eficácia dos jogos virtuais no ensino da Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Henrichsen, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Ibirubá, Ibirubá, RS, Brasil

Docente temporária do Instituto Federal Farroupilha (IFFar) Campus Santa Rosa. Possui Mestrado em Modelagem Matemática pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), Especialização em Ensino, Linguagens e suas Tecnologias pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Ibirubá (IFRS) e Graduação em Licenciatura em Matemática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Ibirubá (IFRS). No período de agosto a dezembro de 2013, foi bolsista do Napne (Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas) pelo IFRS Campus Ibirubá atuando na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), desenvolvendo trabalhos com alunos com déficit de aprendizagem. No ano de 2016 participou como bolsista voluntária do Napne (Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas) pelo IFRS Campus Ibirubá, atuando em sua pesquisa de trabalho de conclusão de curso voltada ao ensino e aprendizagem de matemática com alunos surdos. Também ministrou oficinas no Programa Mais Educação atuando nas áreas de Matemática e Língua Portuguesa de 2014 a 2018.

Rodrigo Farias Gama, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Ibirubá, Ibirubá, RS, Brasil

Minha formação acadêmica se constitui em Matemática/Licenciatura, obtido na UNICRUZ (Universidade de Cruz Alta), em janeiro de 2008. Anteriormente a este, durante três anos, cursei Ciência da Computação na mesma instituição de ensino, e apesar de não concluído, deu-me embasamento para uma série de projetos ligados a informática, sendo de maior destaque, a elaboração de um ambiente virtual (Blog) para estimular o interesse dos alunos pela matemática, situado no endereço (http://www.espacomatematica.com/). Minha experiência profissional iniciou-se em maio de 2008, no Colégio Franciscano Santíssima Trindade, da rede SCALIFRA-ZN, em Cruz Alta, onde atuei até 2013. Além do ensino da matemática, fui responsável pelas atividades no laboratório de informática com os alunos do quarto ano do ensino fundamental. Lecionei também, matemática e física para o ensino médio na rede pública estadual, na Escola Margarida Pardelhas em Cruz Alta, desde agosto de 2010 até dezembro de 2013. Atualmente, atuo com Matemática no ensino médio integrado, e em disciplinas específicas de Matemática em cursos de Graduação no IFRS - Campus Ibirubá, onde já atuei na coordenação do Curso de Matemática. Buscando inovar nas aulas, desenvolvo uma proposta de ensino que estimula o interesse dos alunos pelo aprendizado, utilizando os recursos multimídia disponíveis, como laboratórios de informática, salas de vídeo, projetor multimídia, entre outros. Minhas linhas de pesquisa são Uso de mídias digitais e jogos digitais no auxílio do aprendizado. Como trabalho mais atual, destaco o Projeto Matemática Pop, que consiste no uso de várias ferramentas de redes sociais para produção de conteúdo online: Youtube, Twitter e Instagram. Mantenho um canal no Youtube chamado Matemática Pop com resolução de questões e dicas de recursos digitais para professores, disponível em www.bit.ly/matematicapop.

Referências

ARANHA, G. O processo de consolidação dos jogos eletrônicos como instrumento de comunicação e de construção de conhecimento. Ciências & Cognição, Rio de Janeiro, v. 3, ano 1, p. 21-62, nov. 2004. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/473. Acesso em: 16 mar. 2019.

BARBOSA NETO, J. F.; FONSECA, F. S. da. Jogos educativos em dispositivos móveis como auxílio ao ensino da matemática. RENOTE: Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 11, n. 1, jul. 2013. DOI: https://doi.org/10.22456/1679-1916.41623.

BARROS, M. L. L.; ANGELIM, C. P. O Uso dos Jogos no Ensino da Matemática. Id on Line: Revista Multidisciplinar e de Psicologia, Jaboatão dos Guararapes, v. 11, n. 39, p. 452-458, 2017. DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i39.1004.

BOYER, C. B. História da Matemática. 2 ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1996.

CURY, H. N. Disciplinas Matemáticas em Cursos Superiores: reflexões, relatos, propostas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

D'AMBROSIO, U. Etnomatemática: arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Ática, 1990.

DINELLO, R. Os jogos e as ludotecas. Santa Maria: Pallotti, 2004.

FALKEMBACH, G. M. O lúdico e os jogos educacionais. 2007. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em: http://penta3.ufrgs.br/midiasedu/modulo13/etapa1/leituras/arquivos/Leitura_1.pdf. Acesso em: 16 mar. 2019.

FOERSTER, K. T. Teaching spatial geometry in a virtual world: Using minecraft in mathematics in grade 5/6. 2017 IEEE Global Engineering Education Conference (EDUCON), Athens, p. 1411-1418, june 2017. DOI: https://doi.org/10.1109/EDUCON.2017.7943032.

FREUD, Sigmund. Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago, 1969.

GROENWALD, C. L. O.; TIMM, U. T. Utilizando Curiosidades e Jogos Matemáticos em Sala de Aula. Só Pedagogia, Virtuous Tecnologia da Informação, 9 jul. 2008. Disponível em: http://www.pedagogia.com.br/artigos/jogoscuriosidades/. Acesso em: 10 ago. 2020.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 2 ed. Trad.: MONTEIRO, João Paulo. São Paulo: Perspectiva, 1990.

KEBRITCHI, M.; HIRUMI, A.; BAI, H. The effects of modern mathematics computer games on mathematics achievement and class motivation. Computers & Education, v. 55, n. 2, p. 427-443, set. 2010. DOI: https://doi.org/10.1016/j.compedu.2010.02.007.

MELO, D. S. de; PIRES, F. G. S; FERREIRA, R. M; SILVA JÚNIOR, R. J. R. Robô Euroi: jogo de estratégia Matemática para exercitar o Pensamento Computacional. Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação ? SBIE), p. 685, out. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5753/cbie.sbie.2018.685.

MOTA, P. C. C. L. de M. Jogos no Ensino da Matemática. 2009. 142 f. Dissertação (Mestrado em Matemática/Educação) ? Universidade Portucalense, Porto, Portugal, 2009.

PRENSKY, M. Não me atrapalhe mãe – estou estudando. São Paulo: Phorte, 2010.

SANTOS, W. O. dos; SANTANA, S. J. de. Os Jogos Digitais São Realmente Melhores que os Jogos Tradicionais para Ensinar Matemática? Uma Análise sob a Concentração dos Estudantes. RENOTE: Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v. 16, n. 1, jul. 2018. DOI: https://doi.org/10.22456/1679-1916.85906.

YUSTE, F. C; SALLÁN, J. M. Juegos en clase de matematicas. Cuadernos de Pedagogia, n. 160, p. 50-51, 1988. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2769007. Acesso em: 10 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2020-08-30

Como Citar

HENRICHSEN, L.; GAMA, R. F. Reflexões sobre os métodos de validações de jogos virtuais no ensino e aprendizagem da Matemática. REMAT: Revista Eletrônica da Matemática, v. 6, n. 2, p. e2004, 30 ago. 2020.

Edição

Seção

Ensino de Matemática