Dossiê: Educação de Jovens e Adultos: Desafios e Perspectivas

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) representa a possibilidade de concretização do direito ao letramento de jovens e adultos e também o retorno aos estudos por parte daqueles que se viram obrigados a interromper sua escolarização. Além disso, a EJA também expõe alguns dilemas pelos quais, historicamente, passa a educação brasileira e oferece possibilidades para que possamos compreendê-los. Dilemas que verificamos quando essa modalidade – originalmente pensada para o atendimento de adultos – passa a ser frequentada pelos jovens em grande número; quando constatamos uma inadequação da escola aos tempos e ritmos desse público específico; pelas dificuldades enfrentadas pelos professores quando são desafiados a educar pessoas de diferentes faixas etárias em um mesmo ambiente; ou ainda quando a escola é desafiada a integrar a Educação Profissional ao Ensino Médio e à EJA, como no caso do PROEJA (Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na modalidade de Educação de Jovens e Adultos). Ao longo de sua história, a EJA muitas vezes distancia-se de seu papel, assumindo um caráter meramente compensatório, traduzido em um ensino aligeirado e de qualidade duvidosa. Paradoxalmente a essa condição de precariedade, a EJA também tem sido cenário de uma longa trajetória de lutas e da materialização de experiências pedagógicas inovadoras. Diante desse quadro complexo, a Revista TEAR apresenta o dossiê “A Educação de Jovens e Adultos: desafios e perspectivas”, com o objetivo de promover um espaço de visibilidade às produções que possam expressar a realidade dessa modalidade de ensino e enriquecer o debate sobre o tema e suas múltiplas nuanças.

Prof. Dra. Maria Cecília Camargo Günther (UFSM)
Prof. Ms. José Antônio Padilha dos Reis (IFRS)
Organizadores 

Dossier: Youth and Adult Education: Challenges and Perspectives

Youth and Adult Education (Educação de Jovens e Adultos — EJA) represents the possibility of making real the right to literacy for adults and teens, and also the return to studies for those who have been forced to stop their education. Besides, EJA also exposes some dilemma through which, historically, Brazilian education has been going through as it offers possibilities of understanding them. Such dilemma are verified when this kind of education —originally thought for adults— is attended by a large number of young people; when school inadequacy to this students timing and rhythm is noticed; by the difficulties teachers go through when challenged to educate people from different age ranges within the same environment; and yet when the school is challenged to integrate Professional Education and High School and EJA, as it is the case in PROEJA (a Brazilian program that integrates Professional Education and High School and Youth and Adult Education). Throughout its history, EJA has frequently been far from its role, taking a merely compensatory character, translated into a speed up teaching of dubious quality. Paradoxically to this precarious condition, EJA has also been the scenario of a long trajectory of struggles and materialization of innovative pedagogical experiences. Facing this complex picture, #TEAR presents the special issue “Youth and Adult Education: challenges and perspectives (A Educação de Jovens e Adultos: desafios e perspectivas)” in order to provide a place of visibility for articles that may express the reality of this kind of education and enrich the debate on the subject and its multiple nuances.

Prof. Dra. Maria Cecília Camargo Günther (UFSM)
Prof. Ms. José Antônio Padilha dos Reis (IFRS)
Organizers

Dossier: Educación de Jóvenes y Adultos: Retos y Perspectivas

La Educación de Jóvenes y Adultos (EJA) representa la posibilidad de concreción del derecho a la literacidad de jóvenes y adultos así como el regreso a los estudios por parte de quienes se vieron obligados a interrumpir su escolarización. Además, la EJA también expone algunos dilemas por los cuales históricamente pasa la educación brasileña y ofrece posibilidades para que podamos entenderlos. Verificamos tales dilemas cuando esa modalidad – originalmente pensada para la atención de adultos – pasa a ser frecuentada por jóvenes en gran número; cuando constatamos una inadecuación de la escuela a los tiempos y ritmos de este público específico; por las dificultades enfrentadas por los profesores cuando son desafiados a educar gente de distintas edades en un mismo espacio; o aún cuando la escuela es desafiada a integrar la Educación Profesional a la enseñanza media e a la EJA, como es el caso de PROEJA (Programa Nacional de Integración de la Educación Profesional con la Enseñanza Básica en la modalidad de jóvenes y adultos). A lo largo de su historia, la EJA muchas veces se ha alejado de su función, asumiendo un carácter simplemente compensatorio, traducido en una  enseñanza aligerada y de calidad dudosa. Paradójicamente a la condición de precariedad, la EJA también ha sido escenario de una larga trayectoria de luchas y de la materialización de experiencias pedagógicas innovadoras. Frente a este cuadro complejo, el periódico TEAR presenta el dossier “La educación de jóvenes y adultos: retos y perspectivas”, con el objetivo de promover un espacio de visibilidad a las producciones que puedan expresar la realidad de dicha modalidad de enseñanza y desarrollar el debate sobre el tema y sus múltiples matices.

Prof. Dra. Maria Cecília Camargo Günther (UFSM)
Prof. Ms. José Antônio Padilha dos Reis (IFRS)
Organizadores 

....

Apoio: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) e Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PROPPI) - Programa de Apoio à Edição de Periódicos Científicos do IFRS

Publicado: 2015-07-10