Etnomatemática e o Assentamento Rural Che-Guevara: pulsões de sobrevivência e transcendência no saber/fazer do assentado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/remat2021v7i1id4176

Palavras-chave:

Etnomatemática, Assentamento Rural, Sobrevivência, Transcendência, Cultura

Resumo

Este trabalho refere-se a uma pesquisa realizada junto a um grupo de assentados do Assentamento Che-Guevara, localizado no município de Itaberaí/GO. Objetivou-se analisar nas relações sociais (pulsão de transcendência) e produtivas (pulsão de sobrevivência) os pressupostos da Etnomatemática no assentamento Che-Guevara. Foi mediada pelos seguintes questionamentos: De que modo a geração, organização (social e intelectual) e difusão de conhecimentos, por vezes matematizada, imbuída de importância sociocultural e essencial para a permanência na desses assentados na região, pode ser observada/presenciada/compreendida? E a partir de quais instituições sociais, nas quais os assentados atuam ativamente pelo compartilhamento de conhecimentos e comportamentos compatibilizados que os identificam e caracterizam como um grupo sociocultural? Ao entender que nas atividades produtivas e relações sociais há troca de saberes e fazeres (por vezes matemático) perguntou-se nesta pesquisa: Quais os processos de geração, organização (social e intelectual) e difusão do conhecimento matemático no sistema cultural do assentamento Che-Guevara em Itaberaí/Goiás? Para isso, nos respaldamos em D’Ambrosio (2002), principal pesquisador brasileiro diante do Programa Etnomatemática e sistema cultural que se constitui pela pulsão de sobrevivência e transcendência, Bergamasco e Norder (1996), Medeiros e Leite (1999) sobre a formação de assentamentos rurais brasileiros e relações sociais, Bertti (2002) e Araújo (2005), que apontam os assentamentos como instituições formativas, além de Santana (2008) que descreve a história de formação do Assentamento Che-Guevara e a trajetória de luta dos assentados. A metodologia que estruturou a pesquisa baseou-se na Etnografia: observações e entrevistas. Ao analisar as entrevistas, percebemos que os assentados [...]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lilian de Campos Marinho Cruz, Universidade Federal de Goiás (UFG), Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, Itaberaí, GO, Brasil

Rodrigo Bastos Daúde, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Curso de Licenciatura em Matemática, Campus Cora Coralina, Cidade de Goiás, GO, Brasil

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O Método nas Ciências Naturais e Sociais: Pesquisa Quantitativa e Qualitativa. São Paulo: Pioneira, 1998.

ANDRÉ, M. E. D. A.; FAZENDA, I. (Orgs.). Metodologia da pesquisa educacional. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

ANGROSINO, M. Etnografia e Observação Participante. Tradução de José Fonseca. Consultoria, supervisão e revisão técnica de Bernardo Lewgoy. Porto Alegre: Artmed, 2009.

ARAÚJO, J. P. de. Os Assentamentos Rurais de Reforma Agrária: novos espaços educativos no campo brasileiro. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE PESSOAS ADULTAS, 2, São Carlos, jun. 2005. Anais [...]. São Carlos: CREPA/UFSCar, 2005. Disponível em: http://www.crepa.ufscar.br/documentos/arquivos/ii-crepa/c1_t32/view. Acesso em: 20 dez. 2020.

BERGAMASCO, M. S.; NORDER, L. A. C. O que são assentamentos rurais. Coleção Primeiros Passos. 87 p. São Paulo : Brasiliense, 1996.

BERTTI, M. S. Memória Coletiva e Educação em Assentamentos Rurais Goianos. Orientador: Jadir de Morais Pessoa. 2002. 146 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, 2002.

BRASIL. Lei n° 4 504, de 30 de novembro de 1964. Dispõe sobre o Estatuto da Terra e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 nov. 1964. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L4504compilada.htm. Acesso em: 20 dez. 2020.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: Arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Ática, 1990.

D’AMBROSIO, U. Ethnomatematics and its first international congress. Zentralblatt fur Didaktik der Mathematik, v. 32, n. 2, p. 50-53, 1999.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. Coleção Perspectivas em Educação Matemática. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2002.

FIORENTINI, Dario; LORENZATO, Sergio. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. 3. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

FLICK, I. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GABOARD JÚNIOR, A. A Importância da Produção na Agricultura Familiar para a Segurança Alimentar. In: JORNADA QUESTÃO AGRÁRIA E DESENVOLVIMENTO, PROJETOS SOCIAIS E POLÍTICAS PÚBLICAS, 2., Paraná, nov. 2013. Anais [...]. Paraná: Universidade Federal do Paraná, 2013.

KNIJNIK, G. Currículo, Etnomatemática e Educação Popular: um estudo em um assentamento do Movimento Sem-Terra. Reflexão e Ação: Revista do Departamento de Educação da Universidade de Santa Cruz. v. 10, n. 1, jan./jun. 2002. Disponível em: http://etnomatematica.org/articulos/reflexao101.pdf. Acesso em: 18 nov. 2018.

KNIJNIK, G. Currículo, Etnomatemática e Educação Popular: um estudo em um assentamento do movimento sem terra. Currículo sem Fronteiras. v. 3, n. 1, p. 96-110, jan./jun. 2003. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol3iss1articles/gelsa.htm. Acesso em: 22 fev. 2021.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MACHADO, V. L. Modernização agrícola no médio norte goiano: a feira como estratégias de sobrevivência do pequeno produtor rural. Orientador: Jadir de Morais Pessoa. 2014. 206 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014. Disponível em: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4097. Acesso em: 20 dez. 2020.

MEDEIROS, S. L.; LEITE, S. A formação dos assentamentos rurais no Brasil: processos sociais e políticas públicas. Porto Alegre: UFRGS, 1999.

MELO, T. B.; FANTINATO, M. C. C. B.; THEES, A. SILVEIRA, A.; SOARES. G. A. O. Programa Etnomatemática como Humanizador do Ensino de Matemática. In: CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 13, Recife, jun. 2011. Anais [...]. p. 1-11. 2011. Disponível em: https://xiii.ciaem-redumate.org/index.php/xiii_ciaem/xiii_ciaem/paper/viewFile/1376/1092. Acesso em: 20 dez. 2020.

MENDONÇA, L. H. S. O meio ambiente na visão das crianças do assentamento “Chê Guevara” Itaberaí-GO. Orientador: Ana Maria Curado Lins. 53 f. 2001. Monografia (Licenciatura Plena em Geografia) - Universidade Estadual de Goiás, Campus Cora Coralina, Cidade de Goiás, 2001.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Séries Manuais Acadêmicos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

PASSOS, C. M. Etnomatemática e Educação Matemática Crítica: conexões teóricas e práticas. Orientadora: Jussara de Loiola Araújo. 150 f. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

SANTANA, M. L. A luta pela posse da terra no projeto de assentamento Chê-Guevara no município de Itaberaí-GO e sua realidade sócio-economica e ambiental. Orientador: José Braga Coelho. 99 f. 2008. Monografia (Licenciatura em Geografia) - Universidade Estadual de Goiás, Campus Cora Coralina, Cidade de Goiás, 2008.

SANTOS, N. F. Assentamento Rural: Juventude e Trabalho. Orientador: Jordão Horta Nunes. 94 f. 2007. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2007.

SILVA, J. P. Conexões entre Etnomatemática e Educação do Campo: um estudo no Colégio Estadual Assentamento Virgilândia. Orientadora: Susanne Tainá Ramalho Maciel. 51 f. 2013. Monografia (Licenciatura em Educação do Campo) - Faculdade UnB Planaltina, Universidade de Brasília, Planaltina, 2013.

SPRADLEY, J. The Ethnographic Interview. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1979.

Downloads

Publicado

2021-02-25

Como Citar

CRUZ, L. DE C. M.; DAÚDE, R. B. Etnomatemática e o Assentamento Rural Che-Guevara: pulsões de sobrevivência e transcendência no saber/fazer do assentado. REMAT: Revista Eletrônica da Matemática, v. 7, n. 1, p. e2004, 25 fev. 2021.

Edição

Seção

Educação Matemática