Objetos de Aprendizagem e contribuições para Educação Matemática: mapeamento teórico de artigos acadêmicos

Bruno Resende, Isabel Cristina Machado de Lara

Resumo


O presente artigo objetiva apresentar um mapeamento teórico sobre o modo como os Objetos de Aprendizagem (OA) vêm sendo utilizados para o ensino e a aprendizagem e suas contribuições no campo da Educação Matemática. Buscou-se produções de artigos entre os anos de 2010 e 2017 por meio do Banco de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Durante o procedimento de identificação das produções, foram obtidos 23 artigos sendo oito escolhidos para leitura e análise. Mediante a leitura dos trabalhos, identificou-se o tema, objetivos, metodologia, referenciais teóricos, público-alvo assim como as principais considerações. Os OA foram evidenciados como ferramenta mediadora de conhecimento, inovadora de conteúdos, além de possuir ampla relevância pedagógica que pode contribuir positivamente na interação com o professor apesar de existir a necessidade da aproximação dos docentes com esses recursos.

Palavras-chave


Objetos de Aprendizagem; Ensino Matemática; Ensino e Aprendizagem

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALMEIDA, A. R. S. A emoção na sala de aula. Campinas: Papirus, 2007.

AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Psicologia Educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

BAIRRAL, M. A. Educação Matemática, Tecnologias Digitais e Educação a Distância: um olhar retrospectivo para os artigos do SIPEM. In: ROSA, Maurício; BAIRRAL, Marcelo Almeida; AMARAL, Rubia Barcelos. Educação Matemática, Tecnologias Digitais e Educação a Distância: pesquisas contemporâneas. Natal: Livraria da Física, 2015. p. 97-130.

BUSSI, M. G. B.; MARIOTTI, M. A. Semiotic mediation in the mathematics classroom: artifacts and signs after a Vygotskian perspective. In: ENGLISH, L. et al. (Eds.). Handbook of International Research in Mathematics Education, second revised edition, Lawrence Erlbaum: Mahwah, NJ. 2008. p. 746-783.

BELLONI, M. L. Educação a distância. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

BICUDO, M. A. V. et al. Educação matemática. São Paulo: Moraes, 2005.

BITTAR, M. A abordagem instrumental para o estudo da integração da tecnologia na prática pedagógica do professor de matemática. Educar em Revista, n. 1, p. 157-171, 2011.

BIEMBENGUT, M. S. Mapeamento na pesquisa educacional. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2008.

BORBA, M. C.; MALHEIROS, A. P. dos S.; ZULATTO, R. B. A. Educação a distância online. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

BORBA, M. C.; PENTEADO, M. G. Informática e Educação Matemática. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

BOUCINHA, R. M.; GRASEL, P.; TAROUCO, L. M. R. Desenvolvimento de objetos de aprendizagem multimodais para tablets. In: DE LIMA, José Valdeni et al. Objetos de Aprendizagem Multimodais: Projetos e Aplicações. Editorial UOC, 2014. p. 165-178.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Câmara Nacional de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília, 2013.

BUENO, N. L. Tecnologia educacional e reificação: uma abordagem crítica a partir de Marxs e Luckás. 2013. 503f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

CAMPOS, F.; SANTORO, F. M.; BORGES, M. R. S. Cooperação e aprendizagem online. Rio de Janeiro: Co&a, 2003.

CUNHA FILHO, P.; NEVES, A.; PINTO, R. O projeto Virtus e a Construção de Ambientes Virtuais de Estudo Cooperativos. In: MAIA, C. Educação a distância no Brasil na era da Internet. São Paulo: Anhembi Morumbi, 2000. p. 53-72.

FABRE, M. C. J. M.; TAMUSIUNAS, F.; TAROUCO, L. M. R. Reusabilidade de objetos educacionais. RENOTE, v. 1, n. 1, 2003.

FERREIRA, C. A. de M. A relação entre o brincar, a consciência e o desenvolvimento, sob uma ótica vygotskiana. Revista Eletrônica Informação e Cognição, v. 5, n. 1, p. 137-180, 2006.

FILHO, A. B. do C.; LIMA, J. V. de. Princípios de projeto. In: DE LIMA, José Valdeni et al. Objetos de Aprendizagem Multimodais: Projetos e Aplicações. Editorial UOC, 2014.

HEIDE, A.; STILBORNE, L. Guia do Professor para a Internet - completo e fácil. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

KENSKI, V. M. Tecnologias e tempo docente. Campinas, SP: Papirus, 2013.

KIRNER, C.; SISCOUTTO, R. Realidade virtual e aumentada: conceitos, projeto e aplicações. In: Livro do IX Symposiumon Virtual andAugmented Reality. Petrópolis, Editora SBC. 2007.

MOORE, M.; KEARSLEY, G. Distance Education: a systems view. Belmont: Wadsworth, 1996.

OLIVEIRA, C. TIC’s na Educação: A utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação na aprendizagem do aluno. Pedagogia em Ação, v. 7, n. 1, 2015.

PAGEL, M. Adapted to culture. Nature, London, 482, 7385, 297-299, Feb. 2012.

PAULIN, J. F. V. Educação Matemática, Tecnologias Digitais e Educação a Distância: um olhar retrospectivo para os artigos do SIPEM. In: ROSA, Maurício. BAIRRAL, Marcelo. Almeida. AMARAL, Rubia. Barcelos. Educação Matemática, Tecnologias Digitais e Educação a Distância: pesquisas contemporâneas. Natal: Livraria da Física, 2015. p. 17-56.

PICCOLI, L. A. P. A Construção de Conceitos em Matemática: uma proposta usando tecnologia de informação. 2006. 109f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – PUCRS, Porto Alegre, 2006.

SEWART, D.; KEEGAN, D.; HOLMBERG, B. Distance Education International Perspectives. London: Routllege, 1991.

SINGO, F. Objetos de aprendizagem multimodais. In: DE LIMA, José Valdeni et al. Objetos de Aprendizagem Multimodais: Projetos e Aplicações. Editorial UOC, 2014. p. 17-34.

TAROUCO, L. M. R.; FABRE, M. C. J. M.; KONRATH, M. L. P; GRANDO, A, R. Objetos de Aprendizagem para M-learning. In: Florianópolis: SUCESU-Congresso Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação. 2004.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 REMAT: Revista Eletrônica da Matemática

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores

                             

  

Parcerias

      

Apoio

           

 

Ensino: B3

Matemática/Probabilidade e Estatística: B5

Interdisciplinar: B5

Psicologia: B5

Educação: C

A  REMAT: Revista Eletrônica da Matemática está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

REMAT, Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, Brasil, 2015-2018. e-ISSN: 2447-2689.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS).