Educação das relações étnico-raciais e cenários indígenas: espectros da lei 11.645/2008 em pesquisas educacionais Strictu Sensu

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v11.n1.a5627

Resumo

Resumo: O objetivo deste artigo é discutir aspectos da Lei 11.645/ 2008 que insere nas escolas a temática indígena e afrodiaspórica. A metodologia recorreu ao que Romanowsk & Ens (2006) chamam Estado do Conhecimento – processo de seleção de material em acervos diversos. Nesse sentido foram pesquisadas dissertações em Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu publicadas no portal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) entre os anos de 2015 e 2020, de modo a flagrar as composições teóricas desses estudos ao avanço da temática em tela. Focado na questão indígena, os resultados destacam que o número de pesquisas ainda não reflete a importância do tema, indicando, portanto, ser um campo de estudo com possibilidade de adensamento.  

Palavras-chave: Lei 11645/2008. Étnico-racial. Cultura e Educação.

Biografia do Autor

Leila Melo de Carvalho, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Mestranda em Educação Profissional pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Rondônia - UNIR, especialista em Orientação, Gestão e Supervisão Escolar pela Faculdade Santo André - FASA. Professora efetiva da rede estadual de Rondônia, Ji-Paraná – RO, Brasil.

Genivaldo Frois Scaramuzza, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Doutor em Educação pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB. Professor no Curso de Licenciatura em Educação Básica Intercultural e no Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado Profissional em Educação Escolar – PPGEEProf - UNIR, Porto Velho-RO, Brasil.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

MELO DE CARVALHO, L.; FROIS SCARAMUZZA, G. Educação das relações étnico-raciais e cenários indígenas: espectros da lei 11.645/2008 em pesquisas educacionais Strictu Sensu. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 11, n. 1, 2022. DOI: 10.35819/tear.v11.n1.a5627. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/5627. Acesso em: 4 dez. 2022.