Um emaranhar de caminhos históricos, epistemológicos e educativos para se pensar a arteciência

Autores

  • Letícia Jorge Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) / Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT)
  • Luiz O. Q. Peduzzi Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) / Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT)

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v11.n1.a5573

Resumo

Resumo: Na ausência de estudos que integrem, concomitantemente, conhecimentos artísticos e científicos, neste trabalho busca-se exemplificar as transformações do pensar científico ao se analisar, em termos mais abrangentes, alguns segmentos históricos da ciência-física a partir de obras artísticas. Em um primeiro momento, realizam-se discussões epistemológicas, entre convergências e divergências da arteciência, desenvolvidas pelos físicos e filósofos da ciência Paul K. Feyerabend e Thomas S. Kuhn. Posteriormente são tecidos debates educacionais da temática por meio de aspectos da teoria da aprendizagem significante de Carl R. Rogers e da expressividade artística proposta por Natalie Rogers. Em um terceiro instante, exemplificam-se relações da arteciência a partir de episódios históricos da física junto a algumas formas artísticas. Por fim, nas discussões finais, propõe-se o uso de histórias em quadrinhos (HQs), como uma forma de arte passível de expressar o conteúdo (de modo artístico e científico) e compartilhá-lo no e para além do âmbito educativo. 

Palavras-chave: Aspectos da história da ciência e da arte. Paul K. Feyerabend. Carl R. Rogers e Natalie Rogers.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

JORGE, L.; O. Q. PEDUZZI, L. Um emaranhar de caminhos históricos, epistemológicos e educativos para se pensar a arteciência. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 11, n. 1, 2022. DOI: 10.35819/tear.v11.n1.a5573. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/5573. Acesso em: 4 dez. 2022.