Capitalização da educação escolar: efeitos da racionalidade técnica na avaliação da aprendizagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v11.n2.a6282

Resumo

Diante das transformações sociais advindas da globalização, a educação básica tem passado por um processo de capitalização. O atendimento a fatores externos, econômicos e culturais, influenciam a competitividade internacional e promove a materialização do ensino; instrumentalizando processos importantes na formação escolar, como a avaliação da aprendizagem. O objetivo deste texto é discutir a influência da racionalidade técnica, sob a perspectiva da capitalização escolar, na formação dos alunos da educação básica. É dado enfoque na avaliação da aprendizagem, tendo como recorte temporal o cenário pós-pandemia. O estudo integra o processo de investigação científica composto por pesquisas de Mestrado e Doutorado dos autores, possuindo uma temática comum: a relação inversa entre a racionalidade técnica e autonomia docente. O tipo de pesquisa adotado foi a exploratória (GIL, 2008), utilizando o levantamento bibliográfico e a pesquisa documental para a coleta de dados. A interpretação foi na perspectiva da abordagem qualitativa (LUDKE e ANDRÉ, 1986) empregando a técnica da análise de conteúdo, proposta por Bardin (1977). O processo de categorização, identificou os termos: racionalidade técnica, capitalização escolar e avaliação da aprendizagem. Quanto aos resultados, foi identificado a racionalidade técnica sendo utilizada como ferramenta precursora da capitalização da educação básica, acelerando processos formativos, a partir da automatização na avaliação da aprendizagem. Este modelo foi intensificado devido à Pandemia da covid-19, impactando diretamente nas iniciativas para uma educação emancipatória.

Palavras-chave: Racionalidade Técnica. Capitalização Escolar. Avaliação da Aprendizagem.

Biografia do Autor

Vera Lucia Lopes Silveira, IFRO/UNIR

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Universidade Federal de Rondônia (PPGEEProf/UNIR). Docente EBTT do Instituto Federal de Rondônia.

Bruna Renata de Brito Dantas, UNIR

Mestranda em Educação Escolar pelo Programa de Pós-graduação em Educação Escolar - UNIR. Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Rondônia-UNIR(2015) - Campus Porto Velho. Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela FATEC-RO(2016) e em Gestão Escolar pela UNOPAR(2018). Atua profissionalmente como professora da Rede Pública Municipal de Porto Velho.

Gicelma Cláudia da Costa Xavier, UNIR

Aluna do Doutorado Profissional em Educação Escolar do Programa de Mestrado Doutorado Profissional da Universidade Federal de Rondônia. Professora do Instituto Federal Fluminense - IFF.

José Lucas Pedreira Bueno, UFTM

Licenciado em Letras (Português e Inglês) e Especialista em Língua Portuguesa pela UEMG. Graduado em Gestão da Tecnologia da Informação pela Unisul. Mestrado e Doutorado em Engenharia de Produção pela UFSC. Atua como professor do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFTM - Mestrado e Doutorado Acadêmico. Também atua como professor do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da UNIR - Mestrado e Doutorado Profissional. Coordenador do Departamento de Educação (04/2018 - 04/2021). Avaliador de várias revistas da área de Educação. Líder do Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Educação (EDUCA). Membro da Comissão Disciplinar Discente da UFTM e Coordenador da Comissão Permanente de Formação de Professores da UFTM (Comfor). 

Downloads

Publicado

2022-12-07

Como Citar

LOPES SILVEIRA, V. L.; DE BRITO DANTAS, B. R.; DA COSTA XAVIER, G. C.; PEDREIRA BUENO, J. L. Capitalização da educação escolar: efeitos da racionalidade técnica na avaliação da aprendizagem. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 11, n. 2, 2022. DOI: 10.35819/tear.v11.n2.a6282. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/6282. Acesso em: 31 jan. 2023.