Implementação da contrarreforma do ensino médio (Lei nº 13.415/2017) em Santa Catarina: formação continuada como estratégia de privatização e convencimento docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v11.n2.a6216

Resumo

Este artigo objetiva analisar as percepções dos professores catarinenses acerca da implementação da Lei nº 13.415/2017 a partir da formação continuada oferecida pela Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina (SED/SC) nos anos de 2020 e 2021. Metodologicamente o estudo amparou-se em uma abordagem qualitativa, de caráter interpretativo, analítico e descritivo, empregando procedimentos de pesquisa bibliográfica, documental e empírica, utilizando-se da técnica de análise de conteúdo para análise dos dados. Entre os resultados obtidos neste estudo, observamos que o estado de Santa Catarina aderiu rapidamente ao Programa de Apoio à implementação do Novo Ensino Médio (NEM), via Portaria nº 649/2018, iniciando a implementação em 120 escolas-piloto em 2020. Para dar continuidade à implementação do NEM, no contexto da Pandemia de COVID-19, o referido estado realizou ciclos de formação continuada on-line como estratégia para garantir o êxito da contrarreforma do Ensino Médio. A análise, aqui apresentada, de seis dessas formações, bem como dos comentários dos participantes, permitiu identificar tanto adesões ao discurso contrarreformista quanto resistências por parte dos professores catarinenses.

Palavras-chave: Reforma do Ensino Médio. Formação continuada de professores. Percepções Docentes.

Biografia do Autor

Tatiane Aparecida Martini, GEPEFOPPE IFC - Campus Camboriú

Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Camboriú, Linha de Pesquisa: Processos Formativos e Políticas Educacionais. Licenciada em História pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI, 2010). Participante do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Formação de Professores e Processos Educativos (GEPEFOPPE/IFC). Tem experiência na área de Educação atuando como professora de História na Educação Básica. Atualmente é professora de História da Rede Municipal de Ensino de Joinville - SC.

Filomena Lucia Gossler Rodrigues da Silva, Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de São Miguel do Oeste (1997), mestrado em Educação pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de Joaçaba (2009) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014). Exerceu a função de Integradora de Ensino Médio e Profissional na Gerência de Educação de São Miguel do Oeste no período de 2005 à 2007 e de Supervisora de Educação Básica e Profissional nos anos de 2008 e 2009. De 2016 a 2018 coordenou o processo de elaboração da proposta de criação do Programa de Pós-graduação em Educação do IFC (PPGE-IFC), o qual foi aprovado pela CAPES em 2018.Atualmente é professora nos cursos de licenciatura e no Mestrado em Educação. Coordena o PPGE-IFC desde dezembro de 2018. Realiza pesquisas nas seguintes áreas: Políticas Públicas de Educação, Educação Profissional, Ensino Médio e Formação de Professores. É membro e líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Formação de Professores e Processos Educativos do Instituto Federal Catarinense e membro do Grupo de Pesquisa EMpesquisa - Ensino Médio em Pesquisa. 

Downloads

Publicado

2022-12-07

Como Citar

MARTINI, T. A.; GOSSLER RODRIGUES DA SILVA, F. L. Implementação da contrarreforma do ensino médio (Lei nº 13.415/2017) em Santa Catarina: formação continuada como estratégia de privatização e convencimento docente. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 11, n. 2, 2022. DOI: 10.35819/tear.v11.n2.a6216. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/6216. Acesso em: 31 jan. 2023.