A escolha pela docência e suas relações de forças: compreensões e multiplicidades no cerne de um grupo de estudos e pesquisas em educação

Autores

Resumo

Resumo: Este estudo visa identificar e compreender que forças contingenciaram a escolha pela docência enquanto profissão pesquisadoras vinculadas a um Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação. O fazemos a partir de uma escrita ensaística (LARROSA, 2003) que permite vislumbrar as multiplicidades que as levaram a escolher a profissão docente, tramando algumas linhas que constituem a malha de um ambiente formativo que é tecido em meio às diferentes trilhas da existência das pesquisadoras no contexto universitário brasileiro. Resulta do estudo que: os vínculos e as experiências vivenciadas no cerne dos ambientes familiares toma lugar de destaque em como as integrantes do Grupo perceberam e buscaram sua futura ação profissional; as afetações que as professoras produziram em seus corpos como força importante para a escolha da docência como profissão; a experimentação vivenciada na infância, nas brincadeiras, nas aulas direcionadas às bonecas e aos irmãos, como promotora de uma alegria que ficou registrada na memória corporal dessas professoras e futuras professoras; as representações sociais que pairam sob a docência por vezes se caracterizam como um ponto problemático que, por vezes, impede e dificulta a opção pela formação superior em licenciatura. Logo, conclui-se que a escolha pela profissão docente é marcada por diferentes polifonias e multiplicidades que demandam cultivarmos uma permanente atitude ética que respeite e permita às integrantes do Grupo estarem se modulando livremente, com base em suas leituras de mundo e também de proximidade com as versões multifacetadas da docência. 

Palavras-chave: Processo formativo. Docência. Malha.

Biografia do Autor

Fernanda Monteiro Rigue, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora (2020) e Mestra (2017) em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Licenciada em Química pelo Instituto Federal Farroupilha (2015). Consultora e formadora na Empresa Aura Assessoria Educacional e Institucional e Concatto Consultoria Empresarial. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisa Fiandar/UFSM (Ciências Humanas e Educação) e do Grupo de Pesquisa FILJEM (Filosofia, Cultura e Educação). Tem interesse nos temas: Formação de Professores, Educação-Ensino de Ciências-Química no Brasil e Historicidade da Educação-Ciências/Química.

Alice Copetti Dalmaso, Universidade Federal de Santa Maria

Pós-Doutorado (2020) pelo Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutorado (2016) e Mestrado (2013) em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Bacharel (2008) e Licenciada em Ciências Biológicas (2010) pela Universi-dade Federal de Santa Maria (UFSM). Professora Adjunta no Departamento de Metodologia de Ensino da UFSM.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Como Citar

MONTEIRO RIGUE, F. .; COPETTI DALMASO, A. A escolha pela docência e suas relações de forças: compreensões e multiplicidades no cerne de um grupo de estudos e pesquisas em educação. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 10, n. 2, 2021. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/5332. Acesso em: 24 jan. 2022.