Frequência escolar e ensino remoto: desafios à educação em tempos de pandemia

Autores

Resumo

Resumo: A pandemia da Covid-19 impôs uma série de desafios à escola, sendo a frequência escolar um desses. A difícil tarefa consistiu em assegurar a continuidade dos estudos sem a possibilidade de acesso às escolas de forma presencial. Diante de tal cenário, o presente trabalho tem por objetivo avaliar o nível de participação dos estudantes a partir das atividades remotas durante o período de pandemia entre os meses de abril e dezembro de 2020. Para tanto, foram pesquisados os acessos de estudantes à plataforma Google Classroom durante 30 semanas de atividades remotas. Os estudantes pesquisados se encontram matriculados em turmas dos anos finais do Ensino Fundamental em uma escola situada no município de João Pessoa-PB. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo e de caráter descritivo. Conclui-se que, em um contexto de vulnerabilidade social, embora as propostas tecnológicas apresentadas pela escola sejam muito importantes para a garantia da continuidade dos estudos, elas não se constituem opção para muitos estudantes que se encontram destituídos do processo de inclusão digital. Acreditamos que as propostas para o pós-pandemia devem ser elaboradas levando em consideração resultados como os apresentados no presente artigo, sem os quais as respostas ao problema serão inócuas para a vida de grande parte dos estudantes brasileiros. 

Palavras-chave: Ensino Remoto. Pandemia. Frequência escolar.

Biografia do Autor

Larissa Cavalcanti de Albuquerque, UFPB

Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (2017). Especialista em Gestão Pública Municipal pela Universidade Estadual da Paraíba (2015). Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal da Paraíba (2011). Assistente social na rede municipal de João Pessoa-PB.

Ercules Laurentino Diniz, UFPB

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (2018). Especialista em Fundamentos da Educação: práticas pedagógicas interdisciplinares pela Universidade Estadual da Paraíba (2014). Bacharel e Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Paraíba (2011). Professor na rede estadual da Paraíba.

Edineide Jezine Mesquita de Araújo, UFPB

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (1988), Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (1997), Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2002) e Pós-doutoramento na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - Lisboa/PT (CAPES/FCT), com instância acadêmica na Universidade de Valência (Espanha, 2011). Professora Titular da Universidade Federal da Paraíba com atuação no ensino, pesquisa e extensão,
na Graduação e Pós-graduação.

Maria das Graças de Almeida Baptista, UFPB

Possui Pós-doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Doutora e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (PPGE/UFPB) e Psicóloga e Licenciada em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UFPB) na Linha de Pesquisa Processos de Ensino- Aprendizagem e do Departamento de Fundamentação da Educação do Centro de Educação (UFPB) na área de Psicologia da Educação.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Como Citar

CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, L.; LAURENTINO DINIZ, E. .; JEZINE MESQUITA DE ARAÚJO, E.; DE ALMEIDA BAPTISTA, M. das G. Frequência escolar e ensino remoto: desafios à educação em tempos de pandemia. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 10, n. 2, 2021. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/5236. Acesso em: 24 jan. 2022.