Segunda chamada: a representação do professor de arte na educação de jovens e adultos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v10.n1.a4988

Resumo

Resumo: Os produtos culturais audiovisuais constituem espaços privilegiados para pensarmos culturas, identidades culturais e educação. O objetivo deste trabalho foi analisar a representação da personagem Marco André, professor de arte, na série Segunda Chamada, com vistas à problematização do lugar da arte e do ensino dela na educação de jovens e adultos da série em tela. Para isso, abordou-se questões relacionadas à escola e à qualidade do ensino público no Brasil; à educação de jovens e adultos enquanto modalidade de ensino; e, à representação do professor de arte na série supracitada no intuito de discutir arte e ensino de arte. Metodologicamente, utilizou-se a análise fílmica à luz dos estudos culturais, tendo como arcabouço teórico os estudos relativos à arte, à educação e ao ensino de arte. Depreendeu-se que a arte, no contexto escolar, contribui para incitar o pensamento e, neste sentido, ensiná-la é uma forma de oportunizar experiências e conhecimentos que possibilitam aos/às estudantes a apreciação, a reflexão e a elaboração artística de suas realidades.

Palavras-chave: Segunda Chamada. Educação de Jovens e Adultos. Arte e Ensino de Arte.

Biografia do Autor

Judivan Alves Ferreira, IFG

Professor da Educação Básica com formação em Comunicação Social, Museologia e Educação.

Downloads

Publicado

2021-07-05

Como Citar

ALVES FERREIRA, J. Segunda chamada: a representação do professor de arte na educação de jovens e adultos. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 10, n. 1, 2021. DOI: 10.35819/tear.v10.n1.a4988. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/4988. Acesso em: 15 out. 2021.