Estudantes público-alvo da educação especial nos institutos federais: quem são?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v10.n1.a4843

Resumo

Resumo: Considerando a inexistência de um Censo Escolar específico da Educação Profissional e Tecnológica que abarque os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) e que a recente Plataforma Nilo Peçanha, apesar de reunir várias informações dos IFs, ainda não esboce dados dos estudantes público-alvo da Educação Especial (EE), torna-se necessário ressaltar a importância de tais informações para a avaliação das políticas educacionais. Nesse sentido, o presente estudo objetiva identificar e analisar os dados, de acesso público, sobre o ingresso e permanência de estudantes público-alvo da EE nos IFs no período de 2015 a 2019. Trata-se de uma pesquisa exploratória de abordagem qualitativa, na qual foram buscadas informações para identificar e caracterizar os estudantes público-alvo da EE em todos os 38 IFs do país, por meio do Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao Cidadão do Governo Federal. Os dados coletados foram explorados por meio da análise de conteúdo, a qual possibilitou constatar que os IFs, de modo geral, dispõem de dados pouco organizados sobre os estudantes público-alvo da EE, utilizam-se de nomenclaturas pouco padronizadas e têm ampliado o público-alvo da política de inclusão, definida em legislação. Observou-se ainda que tais estudantes apresentam, em sua maioria (69%), deficiência física, visual, ou auditiva, e representam uma parcela muito pequena da comunidade estudantil. Apesar das limitações, o trabalho empreendido evidencia questões importantes para pesquisas futuras e pode contribuir para demonstrar a importância dos dados sobre os estudantes público-alvo da EE para melhoria das políticas de inclusão escolar, especialmente nos IFs.

Palavras-chave: Educação Profissional e Tecnológica. Educação Inclusiva. Censo Escolar.

Biografia do Autor

Wanessa Moreira de Oliveira, FIOCRUZ e IF Sudeste MG

Doutoranda no Programa de Ensino em Biociência e Saúde do Instituto Oswaldo Cruz - Fiocruz (2019). Possui Mestrado em Diversidade e Inclusão pela Universidade Federal Fluminense (2017), Especialização em Políticas Públicas e Gestão Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2011). Graduada em Serviço Social (2009) e Pedagogia (2019). Atuou como Coordenadora e atua como Assistente Social na Coordenação de Ações Inclusivas na Pró-reitoria de Ensino do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais.Pesquisadora 
 integrante do grupo de pesquisa Talento e Capacidade Humana na Sociedade e na Educação da Universidade Federal Fluminense, vinculado ao Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil do CNPQ. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em: Educação Especial/ Inclusiva, Atendimento Educacional Especializado (AEE) e Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva.

Cristina Maria Carvalho Delou, FIOCRUZ e UFF

Psicóloga, Licenciada em Psicologia pela PUC-RJ (1981), Especialista e Mestre em Educação na área de concentração Educação de Superdotados pela UERJ (1987), e Doutora em Educação, pelo PPG em Educação: História, Política, Sociedade, pela PUC-SP (2001); Professora Aposentada da Faculdade de Educação, da Universidade Federal Fluminense (UFF); Bolsista Produtividade em Pesquisa Nível 2 do CNPq; Líder do Grupo de Pesquisa Talento e Capacidade Humana na Sociedade e na Educação, vinculado ao CNPq; Membro permanente no Curso de Pós-Graduação em Diversidade e Inclusão e no PPG Ciências, Tecnologias e Inclusão do Instituto de Biologia da UFF. Coordenadora do Programa de Atendimento a Alunos com Altas Habilidades/Superdotação (PAAAH/SD-UFF). Membro da Comissão Técnica do Conselho Brasileiro para Superdotação (ConBraSD). Recebeu o Prêmio Jabuti 2015, na categoria Educação e Pedagogia. Recebeu a Medalha do Mérito Carioca por ter sido eleita Personalidade Educacional 2019 pelo Conselho Municipal de Educação da cidade do Rio de Janeiro; Coordenadora-Geral de Políticas, Regulação e Formação de Profissionais de Educação Especial, na Diretoria de Educação Especial, da Secretaria de Modalidades Especializadas do MEC.

Downloads

Publicado

2021-07-05

Como Citar

OLIVEIRA, W. M. de; CARVALHO DELOU, C. M. Estudantes público-alvo da educação especial nos institutos federais: quem são?. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 10, n. 1, 2021. DOI: 10.35819/tear.v10.n1.a4843. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/4843. Acesso em: 15 out. 2021.