A percepção popular da educação a distância no Brasil

Autores

  • Aliane Loureiro Krassmann
  • Alex Eder da Rocha Mazzuco
  • Liane Margarida Rockenbach Tarouco
  • Magda Bercht

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v9.n1.a3928

Resumo

Resumo: Apesar de vir crescendo significativamente nos últimos 10 anos, observa-se que a modalidade Educação a Distância (EAD) ainda experimenta incertezas acerca de sua qualidade de ensino e eficácia de aprendizagem, quando em comparação com a Educação Presencial. Buscando contribuir para a compreensão deste fenômeno, este artigo apresenta uma investigação preliminar sobre a percepção popular da EAD no Brasil. Foi elaborado um questionário on-line contendo 23 questões sobre aspectos demográficos, socioculturais e sobre experiências e preferências de aprendizagem e de formação, que foi divulgado por meio de redes sociais e listas de e-mail. Recebeu-se a resposta de um total de 422 sujeitos, a maioria do estado do Rio Grande do Sul, com formação acadêmica e trabalhadores em turno integral. Entre os resultados, observou-se grande interesse em cursos de EAD, e os motivos que levam um aluno a optá-los estão relacionados à conveniência, em razão de restrições de tempo relacionadas ao trabalho. Além disso, verificou-se que os sujeitos já familiarizados com a modalidade tornam-se mais propensos a valorizá-la. Por fim, elucidou-se o papel e a organização do professor como fundamental no processo de ensino e aprendizagem, e a ausência de práticas profissionais como a maior limitação da modalidade EAD.

Palavras-chave: Levantamento de Percepções. Educação Brasileira. EAD.

Downloads

Publicado

2020-07-03