A reviravolta dos sentidos e das coisas: um movimento Guarani - Mbyá em busca de escolarização indígena

Resumo

Resumo: O movimento institucional indígena tem ganhado variadas expressões desde sua criação nos anos 1980, período de abertura política no Brasil. Este artigo analisa uma dessas expressões. Analisa-se a busca da escolarização indígena pelo movimento social Guarani, criado por dois irmãos na década de 1990, no estado do Rio de Janeiro. Grande parte das sociedades Guarani são oriundas do Paraguai, Bolívia, Uruguai e Argentina, cujas famílias mantêm uma circulação não fixa por todos esses territórios. A noção de escolarização é atravessada por ritos, seres cósmicos e lógicas sensíveis que desconstroem os sentidos puramente racionais dos modelos de educação indígena que têm povoado a América Latina. Conclui-se que há um mundo invisível e cosmológico que subsume os processos de escolarização e o movimento popular indígena. Os mundos invisíveis são, portanto, condições essenciais e indivisíveis ao entendimento de política, organização e humanidade Guarani.

Palavras-Chave: Educação Indígena. Movimento Social Guarani. Cosmologia.

 

THE REVOLUTION OF SENSES AND THINGS: A GUARANI - MBYÁ MOVEMENT IN SEARCH OF INDIGENOUS SCHOOLING

Abstract: The indigenous institutional movement has gained varied expressions since its creation in the 1980s, a period of political beginning in Brazil. This paper studies one of these expressions. This study analyzes the search for indigenous schooling based on the popular Guarani movement, created by two brothers in the 1990s in the state of Rio de Janeiro / Brazil. The most Guarani societies came from Paraguay, Bolivia, Uruguay and Argentina, where families maintained a non-fixed circulation for all these territories. The notion of schooling is crossed by rites, cosmic beings and sensible logics that deconstruct the purely rational meanings of the models of intercultural education that have populated Latin America. It’s possible to conclude that there is an entire invisible and cosmological world, which subsumes the processes of schooling and the indigenous movements. The invisible worlds are, therefore, essential and its indivisible conditions are mandatory to the understanding of Guarani politics, organization and humanity.

Keywords: Indigenous Education. Guarani Social Movement. Cosmology.

Biografia do Autor

Danielle Bastos Lopes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

É Professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ); docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Educação Básica (PPGEB - UERJ), doutora em Educação (PROPED /UERJ) foi bolsista capes / Proex; Mestre em História Social (PPGHS/ UERJ - 2011) e possui graduação em Pedagogia pela (UERJ - 2008). É coordenadora do projeto de pesquisa Entre a terra e o céu ameríndio: currículo, cultura e diferença, financiado com bolsa FAPERJ, membro do grupo de pesquisa Currículo, Cultura e Diferença vinculado ao (PROPED / UERJ), coordenado pela Profª. Drª Elizabeth Macedo e do grupo Juventudes, Infâncias e a Liberdade do Ser Aprendiz do instituto CAp -UERJ. Sua atual pesquisa concentra-se na educação entre os Mbyá (Guarani) do estado do Rio de Janeiro e aplicação da Lei 11.645/2008 na Educação Básica. As pesquisas com influência pós-coloniais e deleuziana abrangem as grandes áreas da Educação, Filosofia e Antropologia. Tem como interesse os assuntos da socialidade, cosmologia, alteridade, processos de escolarização e currículo entre os povos ameríndios viventes no território brasileiro e hispano-americano.

Publicado
2019-07-05