A mobilização social e resposta comunitária LGBT à AIDS – itinerários reflexivos

  • Marcio Rodrigo Vale Caetano Instituto de Educação - Universidade Federal do Rio Grande http://orcid.org/0000-0002-4128-8229
  • Alexsandro Rodrigues Universidade Federal do Espírito Santo
  • Cláudio Nascimento Silva Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT

Resumo

Resumo: O artigo se propõe a analisar, panoramicamente, as redes de solidariedade e a emergência de grupos e organizações não-governamentais de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) a partir das lutas comunitárias em resposta à epidemia de HIV/AIDS nas décadas de 1980 e 90. Para tanto, buscamos inspiração no estilo ensaístico com vistas a estimular o debate. Todas as considerações permitem reafirmar o ensaio como uma dissertação pouco extensa, na qual o/a autor/a constrói o seu objeto através de um encadeamento de raciocínios lógicos e fundamentados que estruturam sua argumentação. Ancorados nesta ideia, entendemos que, se por um lado as primeiras pessoas identificadas com HIV eram homens gays, reforçando o estigma sobre a população, por outro, as respostas comunitárias dadas à epidemia e os rumos do movimento LGBT foram responsáveis por levar à tona o debate sobre as homossexualidades e outros modos dissidentes de viver a heterossexualidade e a(s) masculinidade(s). Consideramos que a sociedade civil representou um importante ator no enfrentamento à epidemia auxiliando a construção de políticas públicas.

Palavras-chave: HIV/AIDS. LGBT. Movimento Social. Resposta Comunitária.

 

LA MOVILIZACIÓN SOCIAL Y RESPUESTA COMUNITARIA LGBT AL SIDA - ITINERARIOS REFLEXIVOS

Resumen: El artículo se propone de forma más abrangente las redes de solidaridad y la emergencia de grupos y organizaciones no gubernamentales de lesbianas, gays, bisexuales, travestis y transexuales (LGBT) a partir de las luchas comunitarias en respuesta a la epidemia de VIH/Sida en las décadas de 1980 y 90. Para tanto, buscamos inspiración en el estilo ensayístico con el fin de estimular el debate. Todas las consideraciones permiten reafirmar el ensayo como una disertación poco extensa, en la cual el/la autor/a construye su objeto a través de un encadenamiento de razonamientos lógicos y fundamentados que estructuran su argumentación. Anclados en essa idea, entendemos que, si por un lado las primeras personas identificadas con VIH eran hombres gays, reforzando el estigma sobre la población; por otra, las respuestas comunitarias a la epidemia y los rumbos del movimiento LGBT fueron responsables por llevar a la luz el debate sobre las homosexualidades y otros modos disidentes de vivir la heterosexualidad y la(s) masculinidad(es). Consideramos que la sociedad civil fué un importante actor en el enfrentamiento de la epidemia ayudando a la construcción de políticas públicas.

Palabras clave: VIH / SIDA. LGBT. Movimiento Social. Respuesta comunitaria.

Biografia do Autor

Marcio Rodrigo Vale Caetano, Instituto de Educação - Universidade Federal do Rio Grande
Líder do Nós do Sul - Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Identidades, Currículos e Culturas, graduado em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com mestrado e doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Docente na Universidade Federal do Rio Grande (FURG), orienta investigações desenvolvidas nos Programas de Pós-graduação em Educação e em Educação em Ciências.
Alexsandro Rodrigues, Universidade Federal do Espírito Santo
Doutor em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2009). Docente Permanente no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional (PPGPSI/UFES) e no Centro de Educação. Coordenador do Grupo de Estudo e Pesquisas em Sexualidades (GEPSs/UFES) e do Núcleo de Pesquisa em Sexualidade (NEPS/UFES).
Cláudio Nascimento Silva, Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT
Ativista gay no Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT (Rio de Janeiro, foi superintendente de direitos individuais, coletivos e difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro nos governos de Sérgio Cabral e Luiz Fernando de Souza (Pezão). Tem experiência na área da Administração Pública direta, com ênfase em construção de políticas públicas nos campos dos Direitos Humanos, Cidadania LGBT, Intolerância Religiosa, Racismos e temas correlatos aos direitos individuais e coletivos.
Publicado
2019-07-05