Representações do ser professor de química: identidade profissional e profissionalização docente

Autores

Resumo

Resumo: Ser professor, principalmente de Química, e pensar na identidade desse profissional é a que se volta a este estudo, na tentativa de contribuir com as discussões acerca das representações dadas sobre o pertencimento e o ser docente por licenciandos de química. Sendo assim, objetivamos com esta pesquisa compreender as representações de licenciandos concluintes e ingressantes de um curso de licenciatura em Química acerca do que pensam sobre ser professor(a) de Química. Como aspecto metodológico utilizamos da abordagem qualitativa e descritiva, com preceitos da pesquisa em representação social, com a participação de 30 licenciandos que estavam iniciando e/ou no final do curso de Licenciatura em Química de uma Instituição de Ensino Superior do interior da Bahia. Suas percepções foram submetidas à aplicação Web WordClouds, para criação da nuvem de palavras, evidenciando as significações mais relevantes. Para sistematizar e discutir os dados, realizamos a análise de conteúdo das expressões mais significativas dos grupos. Algumas expressões foram mais expressivas entre os dois grupos investigados, as quais versavam desde a cidadania, passando pela estratégia de ensinar ciências até os desafios da sociedade. Quanto às explicações dadas pelos participantes, emergiram duas dimensões predominantes: “Identidade docente e a profissionalização” e “Identidade docente e a formação para cidadania”. Podemos concluir, através das ideias partilhadas pelos futuros professores de Química, que o grupo percebe a importância da formação pedagógica realizada no intercâmbio entre a universidade e a escola caracterizando o papel social da docência e da profissionalização docente, sobretudo voltado para o viés da cidadania.

Palavras-chave: Representação Social. Ser professor de Química. Formação Inicial. Identidade Docente.

Biografia do Autor

Franklin Kaic Dutra-Pereira, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Curriculista das Ciências. Licenciado em Química (CES/UFCG) e um dos doutores mais jovens do país em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECM/UFRN). Amante por entender as entrelinhas das narrativas [(auto)biográficas] e práticas pedagógicas na Licenciatura em Química, enquanto professor do Centro de Formação de Professores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Amargosa/BA. Líder do RESSONAR - Coletivo Universitário de Pesquisa em Representação Social, Narrativas [auto(bio)gráficas] e Argumentação em Educação Científica. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Curriculares (GEPPC/UFRB). ANTIFASCISTA. Defende a democracia, a escola e a diversidade. Destitui os mitos, os cloroquiners e ivermectiners com conhecimento científico.

Michele Marcelo Silva Bortolai, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Doutora e Mestra em Ensino de Ciências (modalidade Química) pelo PIEC/USP - Programa de Pós Graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo, com trabalhos de pesquisa intitulados "Percepções escolares sobre água na perspectiva da Teoria das Representações Sociais" e "PROQUIM em ação: ressignificando o conceito de transformação no Ensino Médio"; Especialista em Química, pela Universidade Oswaldo Cruz; Licenciada em Pedagogia - Administração e Supervisão Escolar, pela Universidade de Guarulhos; Bacharel e Licenciada em Química pela Universidade Presbiteriana Mackenzie; Membro dos grupos de pesquisa LiEQui - Linguagens no Ensino de Química e RESSONAR - Coletivo Universitário de Pesquisa em Representação Social, Narrativas [auto(bio)gráficas] e Argumentação em Educação Científica. Em ambos os grupos têm seus estudos voltados à formação de professores e processos de ensino e aprendizagem em Química. Possui experiência como coordenadora pedagógica e como professora em escolas de Educação Básica.. Vice-coordenadora e professora orientado do curso de Pós-Graduação Ciência é 10! (2020-2021). Atualmente é professora Adjunta de Ensino de Química da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, no Centro de Formação de Professores (CFP), Amargosa, Bahia.

Downloads

Publicado

2021-12-10

Como Citar

DUTRA-PEREIRA, F. K.; BORTOLAI, M. M. S. Representações do ser professor de química: identidade profissional e profissionalização docente. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 10, n. 2, 2021. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/5436. Acesso em: 24 jan. 2022.