Matemática em seções recreativas do periódico O ECO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v10.n1.a4818

Resumo

Resumo: O artigo tem por objetivo abordar a Matemática em seções recreativas do periódico O Eco, editado pelo Colégio Anchieta, de Porto Alegre, no período de abril de 1914 até o final de 1969. A questão de pesquisa é: quais conhecimentos matemáticos estão presentes nas seções recreativas de O Eco? Como o tema se insere na História da Educação Matemática do Rio Grande do Sul, este estudo qualitativo e documental se ampara  na pesquisa histórica. O público-alvo do periódico era a comunidade escolar e a mocidade católica brasileira, apresentando-se conteúdos religiosos, morais e de formação geral. Nos mais de 50 anos de edição do periódico, foram identificadas cinco seções recreativas, com variados períodos de existência: Recreio, Para Pequenos Mathemáticos, Mata Tempo Intelectual, Para o Grande Concurso e Cantinho do Sábio. Nessas seções, foram encontradas perguntas, charadas, problemas, enigmas, curiosidades, palavras cruzadas e outras atividades de passatempo. A Matemática aparece em problemas, perguntas e curiosidades, valorizando o pensamento lógico-matemático dos leitores, premiando assinantes com soluções corretas. Os conhecimentos matemáticos envolvem aritmética, geometria, álgebra, grandezas e medidas, com foco no desenvolvimento de habilidades para cálculo, raciocínio lógico e resolução de problemas, envolvendo situações de forma instigante, provocativa e útil. Assim, os editores do periódico buscavam despertar o interesse e a curiosidade da juventude estudantil, contribuindo para a formação da juventude católica nos colégios onde O Eco circulava. 

Palavras-chave: História da Educação. Jesuítas. Revista. Matemática.

Biografia do Autor

Malcus Cassiano Kuhn, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense - IFSul Câmpus Lajeado/RS.

Doutor em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Canoas/RS.

Estágio Pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática – PPGECIM, na Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Canoas/RS.

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense – IFSul Câmpus Lajeado/RS.

Chefe do Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense – IFSul Câmpus Lajeado/RS.

Coordenador do Polo UAB do IFSul Câmpus Lajeado/RS.

Membro da Câmara de Ensino do IFSul.

Membro titular da Câmara de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação do IFSul, representando a grande área de Ciências Exatas e da Terra.

Membro titular do Conselho Editorial da Editora IFSul.

Membro do Grupo de Pesquisas sobre Formação de Professores de Matemática – GPFPMat.

Líder do Grupo de Pesquisa Estratégias de Ensino para Educação Básica e Profissional.

Silvio Luiz Martins Britto, Faculdades Integradas de Taquara – FACCAT/Taquara/RS.

Doutor em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Canoas/RS.

Estágio Pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática – PPGECIM – da Universidade Luterana do Brasil – ULBRA/Canoas/RS.

Professor das Faculdades Integradas de Taquara – FACCAT/Taquara/RS.

Membro do Grupo de Pesquisas sobre Formação de Professores de Matemática – GPFPMat.

Downloads

Publicado

2021-07-05