O design participativo na construção do jogo de ditado

Autores

  • Fernanda Deitos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre
  • Márcia Häfele Islabão Franco Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, IFRS - Campus Porto Alegre.
  • André Peres Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Porto Alegre
  • Calebe Borges Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre
  • Evandro Manara Miletto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Porto Alegre

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v9.n2.a4526

Resumo

Resumo: O presente trabalho aborda a aplicação do Design Participativo (DP) no desenvolvimento de um jogo de ditado digital, em que o principal objetivo é auxiliar na aprendizagem da escrita e da ortografia. A metodologia aplicada trata-se de um estudo de caso que está inserido no campo pesquisa-ação, por seu caráter participativo e por realizar uma intervenção em uma realidade específica, neste caso, duas turmas de 3º ano do Ensino Fundamental (EF) de uma escola da rede pública de Porto Alegre – RS/Brasil. Neste trabalho, foram realizadas atividades que contemplaram a construção, a aplicação e a avaliação do jogo. As análises apontam que o uso deste recurso lúdico repercutiu na motivação, no engajamento e na colaboração dos alunos. Os resultados mostram que os alunos aprimoraram seu aprendizado referente à escrita, além de demonstrarem maior motivação em realizar as atividades, persistindo na competição até chegar ao acerto. Verificou-se, ainda, um maior engajamento dos alunos ao sentirem-se como parte do jogo, através da percepção de suas contribuições.

Palavras-chave: Design participativo. Ditado. Jogo digital.

Biografia do Autor

Fernanda Deitos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre

Mestre em Informática na Educação pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre.

Márcia Häfele Islabão Franco, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, IFRS - Campus Porto Alegre.

Doutora em Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). Professora Orientadora do Mestrado Profissional em Informática na Educação. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre.

André Peres, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Porto Alegre

Doutor em Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Professor do Mestrado Profissional em Informática na Educação. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre.

Calebe Borges, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre

Mestrando em Informática na Educação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre – RS/Brasil. Especialista em MBA e Bacharel em Design pela Faculdade da Serra Gaúcha.

Evandro Manara Miletto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Porto Alegre

Doutor em Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). Professor do Mestrado Profissional em Informática na Educação. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre.

Downloads

Publicado

2020-12-08