Ciência, tecnologia e sociedade: formação de professores e aproximação universidade-escola

Autores

  • Krisnayne Santos Ribeiro Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC/ Mestranda do Programa de Mestrado em Educação em Ciências - PPGEC
  • Dayane Ferreira Santos Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)/Mestranda do Programa de Mestrado em Educação em Ciências (PPGEC)
  • Christiana Andrea Vianna Prudêncio Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)/Professora adjunta da área de ensino de Biologia da UESC e docente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências dessa universidade

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v9.n1.a3846

Resumo

Resumo: A formação do professor de ciências é uma preocupação constante no âmbito educacional. Alguns estudos apontam que as investigações sobre a formação destes profissionais, quando atrelada aos preceitos da Educação CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade), concentram-se na análise de concepções. Mas, como as ações formativas CTS têm desenvolvido o diálogo e a integração entre comunidade científica e escola? Para responder a esse questionamento mapeamos os trabalhos que articulam Educação CTS à formação de professores de ciências por meio de ações formativas desenvolvidas em disciplinas, eixo temático, grupo de pesquisa, projetos/programas e cursos de formação, no período de 2014 a 2019. Realizamos buscas em bases de dados de periódicos e nas atas de três edições do Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências (ENPEC). Esses estudos foram descritos e analisados com base na Análise Textual Discursiva (ATD) e as categorias de análise dizem respeito às características das ações formativas CTS e às interlocuções entre universidade e escola. Percebemos que as ações formativas acontecem principalmente nas disciplinas da formação inicial, mas não conseguem sozinhas fomentar relações estreitas entre academia e escola. Ao mesmo tempo, programas de formação de professores têm sido importantes para a interação entre profissionais da escola e universidade, além disso, nas discussões surgem espaços com potencialidade para o desenvolvimento de formações com viés CTS. Compreendemos que as ações precisam ser pensadas como uma rede de iniciativas que integre diferentes atores, fomentando discussões sobre CTS e autonomia dos profissionais envolvidos.

Palavras-chave: Educação CTS. Formação Docente Crítica. Educação Progressista.

Biografia do Autor

Krisnayne Santos Ribeiro, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC/ Mestranda do Programa de Mestrado em Educação em Ciências - PPGEC

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC (2018) e mestranda em Educação em Ciências dessa universidade. Possui interesse por temáticas associadas à Educação em Ciências, Educação CTS, Sequências Didáticas, Formação de professores de Ciências/Biologia e Estratégias de ensino e aprendizagem em Ciências.

Dayane Ferreira Santos, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)/Mestranda do Programa de Mestrado em Educação em Ciências (PPGEC)

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC (2018) e mestranda em Educação em Ciências dessa universidade. Possui interesse em pesquisas vinculadas à Educação CTS, Sequências Didáticas, Ensino de Microbiologia, Formação de Professores de Ciências/Biologia e Práticas Sociais.

 

Christiana Andrea Vianna Prudêncio, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)/Professora adjunta da área de ensino de Biologia da UESC e docente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências dessa universidade

Mestre e doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos/SP – UFSCar. Professora adjunta da área de ensino de Biologia da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC e docente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências dessa universidade. Pesquisa na área de Formação de Professores de Ciências, Educação CTS e as interfaces entre o Ensino de Ciências e as relações étnico-raciais.

Downloads

Publicado

2020-07-02