Os primórdios da educação profissional em Viticultura e Enologia na região da Serra Gaúcha

Autores

  • Sergio Ricardo Pereira Cardoso Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Câmpus Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v1.n2.a1756

Resumo

Resumo: Há no imaginário coletivo a ideia de que os imigrantes da Serra Gaúcha teriam trazido a tradição e qualidade da viticultura e enologia da Europa, desmerecendo os esforços do governo brasileiro, desde o Império, no tocante à qualificação/formação profissional do segmento produtivo de viticultura e enologia no Brasil. Sendo assim, este artigo tem como objetivo principal tecer a evolução de tais investimentos que, com o passar dos tempos, foram se transformando em políticas públicas em educação profissional, configurando-se como os primórdios da educação profissional no Brasil e, mais especificamente, na região serrana do Rio Grande do Sul. As fontes de pesquisas vão desde a legislação e relatório ministeriais do Império à República Brasileira até registros antigos do Câmpus Bento Gonçalves, pertencente ao IFRS. Desmistifica-se, portanto, a vocação inata dos imigrantes italianos em relação à produção de uva e vinho, pois os dados levam a crer que esta identidade foi forjada nas políticas públicas educacionais. A criação da Escola de Viticultura e Enologia de Bento Gonçalves é um exemplo disso, cuja atuação na formação de profissionais na área em questão foi decisiva para a economia do Rio Grande do Sul.

Palavras-chave: História da Educação. Educação Profissionalizante. Viticultura e Enologia.

 

LOS COMIENZOS DE LA FORMACIÓN PROFESIONAL EN VITICULTURA Y ENOLOGIA EM LA REGION DE LA SIERRA GAUCHA

Resumen: Existe en el imaginario colectivo la idea de que los inmigrantes de la Sierra Gaucha han traído la tradición y la calidad de la viticultura y la enología de Europa, menospreciar los esfuerzos del gobierno brasileño, ya que el imperio lo que se refiere a la cualificación / formación del segmento productivo de la viticultura y enología en Brasil, por lo que en el objetivo principal de este artículo es tejer la evolución de dichas inversiones, con el paso del tiempo se convirtieron en políticas públicas en educación profesional, tales como el establecimiento de los principios de la educación profesional en Brasil y más específicamente, en la región montañosa de Rio Grande do Sul. Las fuentes de investigación que van desde la legislación y el informe ministerial del Imperio a la República Brasileira los registros antiguos de Câmpus Bento Gonçalves –IFRS. Desmitifica es la vocación innata por lo tanto de los inmigrantes italianos en la producción de uva y el vino, ya que los datos sugieren que esta identidad se forjó en la educación de las políticas públicas. La creación de la Escuela de Viticultura y Enología de Bento Gonçalves es uno de esos ejemplos, cuya actuación en la formación de profesionales en el área en cuestión era crucial para la economía de Rio Grande do Sul.

Palabras-claves: Historia de la educación. Formación Profesional. Viticultura y enología.

 

 

Biografia do Autor

Sergio Ricardo Pereira Cardoso, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Câmpus Rio Grande

Graduado em Licenciatura Plena Em História pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Mestre e Doutor em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História e Fundamentos da Educação.

Downloads

Publicado

2012-12-02