Práticas para melhorias da qualidade e higiene do leite

Palavras-chave: [Extensão, Manejo, Mastite, Qualidade do Leite].

Resumo

A permanência de produtores e indústrias no mercado de laticínios é influenciada cada vez mais pela qualidade do leite. Sendo assim, objetivou-se promover a melhoria da qualidade e higiene do leite em doze propriedades na região norte do Rio Grande do Sul durante o ano de dois mil e dezessete. O levantamento de dados foi realizado por aplicação de questionários, estudos bibliográficos, análise de condições das propriedades. A etapa final constou na assistência técnica e extensão rural para auxiliar os produtores e promover transformações nas atividades das propriedades. Observou-se que as práticas de manejo e higiene da ordenha não eram praticadas rotineiramente, tanto quanto a utilização de soluções antissépticas e de limpeza dos tetos dos animais. Conclui-se que assistência técnica e extensão rural são fundamentais, pois o produtor está solitário para combater a mastite. Propriedade mal manejada gera impacto econômico negativo na atividade leiteira.

Biografia do Autor

Darlan Teilor Dirings Cesca, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - (IFRS) Campus Sertão
Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - (IFRS) Campus Sertão. Técnico em Contabilidade pelo Centro Educativo Canindeyú (Paraguai). Atual: Acadêmico em Bacharel em Zootecnia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - (IFRS) Campus Sertão.
Carla Verônica Vasconcellos Diefenbach, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - (IFRS) Campus Sertão
Possui graduação em graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria (1995), Lic. em Disc. Especializadas do Ensino de II Grau pela Universidade Federal de Santa Maria (1996), mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria (1998) e doutorado em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2013). Atualmente é professora Titular- IFRS Câmpus Sertão. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Bovinocultura de leite, sanidade animal, ensino profissional, educação e trabalho, história da educação e história das instituições.

Referências

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 62, de 20 de setembro de 2011. Diário Oficial da União, 30 dez. 2011. Seção 1, p.6.

HULSEN, Jan. AERDEN, Dries. Feeding Signals. Um guia prático para alimentação de vacas leiteiras, visando saúde e produção. Belo Horizonte, 2016. O2 Serviços Agropecuários Ltda. p.16.

MACHADO, P. F. Sucesso no leite: como transformar a fazenda em um negócio mais produtivo, rentavel e de valor para as pessoas. Piracicaba (SP): Clínica do leite, 2017. 192p.: il.; Grafs., Tabs.

REDIN, O. et al. Sistemas de ordenha. Porto Alegre: Ideograf, 2016. 238p.

SANTOS, M. V.; FONSECA, L. F. L. Importância e efeito de bactérias psicrotróficas sobre a qualidade do leite. Revista Higiene Alimentar, São Paulo, v. 15, n. 82, p. 13-19, 2001.

Publicado
2018-12-17
Seção
RELATOS DE EXPERIÊNCIAS