Os registros de representação semiótica de frações em atividades envolvendo tratamento e conversão

Autores

  • Cristina Martins Paraol Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, Porto Alegre, RS
  • Jeremias Stein Rodriguês Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC), Campus São José, Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.35819/remat2018v4i2id3019

Palavras-chave:

Representação Semiótica, Ensino de Matemática, Aprendizagem de Matemática, Frações

Resumo

Frações são, de modo geral, temidas pela maior parte dos estudantes em diversos níveis de ensino. Isto pode se dar pelo fato de não haver domínio e compreensão desse objeto, assim como das operações que o envolve. Este artigo é o resultado de uma pesquisa qualitativa voltada à Educação Científica e Tecnológica, na qual buscamos averiguar algumas das dificuldades dos estudantes a respeito da resolução de questões envolvendo frações, tendo como base a Teoria de Registros de Representação Semiótica. Para a coleta de dados, foram aplicadas avaliações diagnósticas acerca de frações e seus registros, decimal e figural, com estudantes do ensino básico e superior da região de Araranguá, Santa Catarina. Concluímos que há grande dificuldade nos procedimentos envolvendo frações, principalmente no registro dos números decimais, e que estas são semelhantes tanto no Ensino Fundamental quanto no Ensino Médio. Constatamos também que estas mesmas dificuldades ainda aparecem no Ensino Superior, mas, como esperado, em proporção muito menor.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Martins Paraol, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, Porto Alegre, RS

Mestranda do programa de pós-graduação em Ensino de Matemática (PPGEMat) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui graduação em Licenciatura plena em Matemática pelo Instituto Federal Catarinense (IFC) e especialização em Educação Científica e Tecnológica pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Atualmente é professora da rede municipal de ensino de Jacinto Machado.

Jeremias Stein Rodriguês, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC), Campus São José, Florianópolis, SC

Possuo graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012) e Mestrado Profissional e Matemática - PROFMAT pela Universidade Federal de Santa Catarina (2016). Fui professor de Matemática no estado de Santa Catarina e professor substituto no Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC - câmpus São José. Atualmente sou professor de Matemática efetivo no IFSC - câmpus Araranguá.

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

PARAOL, C. M.; RODRIGUÊS, J. S. Os registros de representação semiótica de frações em atividades envolvendo tratamento e conversão. REMAT: Revista Eletrônica da Matemática, Bento Gonçalves, RS, v. 4, n. 2, p. 21–37, 2018. DOI: 10.35819/remat2018v4i2id3019. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/REMAT/article/view/3019. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Ensino de Matemática