Abya Yala em jogo: uma visão decolonial da história de mulheres de Abya Yala no ensino de Língua Espanhola

Autores

  • Glauco Vaz Feijó IFB
  • Gabrielle Tavares Pereira

DOI:

https://doi.org/10.35819/linguatec.v5.n1.3988

Resumo

O presente artigo se ocupa de relatar a pesquisa de mestrado em educação profissional e tecnológica que culminou na criação de um jogo de tabuleiro bilíngue (Espanhol\Português) que trabalha a história de mulheres de Abya Yala (Américas) que desafiaram a normatização ocidental de racialidade patriarcal e desempenharam papéis divergentes dos estabelecidos pela colonialidade para sua raça e gênero. Para que se chegasse a este objetivo foi percorrido um caminho teórico que perpassou o conceito de identidade e diferença na perspectiva de Stuart Hall; a formação da identidade americana em um contexto de colonialidade; a origem do termo “Abya Yala” e o porquê a substituição de “América”; a perspectiva decolonial e sua contextualização aprofundada na colonialidade do gênero, até chegar à alternativas para superá-la; e a fundamentação teórica com autores que trazem a importância pedagógica do brincar e dos jogos como metodologia de ensino aprendizagem. Há ainda, o relato e a discussão sobre as primeiras aplicações do produto e sobre as correções e alterações que advieram destas, bem como o formato e local onde estará disponível para impressão e utilização de outras e outros docentes que desejem oferecer a seus alunos este momento de interatividade e reflexão. Propõe-se aqui uma alternativa de material educativo para o ensino de língua espanhola, imaginado para a realidade da educação profissional e tecnológica, que colabore com a formação de alunos conscientes das desigualdades sociais, econômicas, políticas, e das relações de poder e capazes de desenvolver práticas de oralidade, de leitura e de escrita interculturalmente situadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-05-24

Edição

Seção

Artigos Acadêmicos