Sobre a Revista

FOCO E ESCOPO

A LínguaTec é um periódico dedicado às questões de ensino-aprendizagem de línguas e literaturas em contextos de ensino tecnológico, de nível médio e superior. Sua missão é estabelecer um espaço de interlocução sobre aspectos teóricos e práticos relativos ao ensino de línguas e literaturas nos mais diversos contextos sociais envolvendo a formação tecnológica dos estudantes.

A revista foi criada com a intenção de estabelecer um espaço de disseminação do conhecimento referente a pesquisas, ações de extensão e práticas de ensino relativas ao ensino de línguas e literaturas em contextos educacionais de formação técnica e/ou tecnológica. Esse foco está refletido no nome da revista, o qual busca indicar a articulação entre língua (e a literatura por ela materializada) e ensino tecnológico.

Atualmente, a LínguaTec também aceita trabalhos que versem sobre o uso de tecnologias no ensino-aprendizagem de línguas e literaturas, assim como sobre ensino de línguas para fins específicos, uma vez que ambas as temáticas estão também estreitamente relacionadas ao ensino técnico-científico e profissionalizante.

A LínguaTec recebe, portanto, no âmbito do seu escopo, manuscritos inéditos relativos aos três seguintes temas:

     1. Ensino-aprendizagem de línguas e literaturas em contextos de ensino tecnológico, de nível médio e superior;

     2. O uso de tecnologias no ensino-aprendizagem de línguas e literaturas;

     3. Ensino de línguas para fins específicos.

São aceitos manuscritos em Língua Portuguesa, Língua Espanhola ou Língua Inglesa

A LínguaTec não exige titulação mínima dos autores para submissão de trabalhos. Estudantes do ensino médio técnico, de cursos de graduação e de pós-graduação lato sensu também podem submeter trabalhos à revista, desde que em coautoria com algum docente que possua titulação de especialista, mestre ou doutor.

 

SEÇÕES

A LínguaTec conta com três seções:

  1. Artigos Acadêmicos: Esta seção é destinada à divulgação de trabalhos de pesquisa oriundos de projetos desenvolvidos nas áreas abarcadas pelo escopo desta revista. 
  2. Narrativas de Ensino: Esta seção é destinada a narrativas de práticas de ensino de línguas desenvolvidas nas áreas abarcadas pelo escopo desta revista.
  3. Relatos de Experiência: Esta seção é destinada a relatos de ações de extensão realizadas em contextos tecnológicos e relacionadas a experiências linguísticas. Relatos de prática de ensino ou relatos de estágios de estudantes de cursos de Letras de Institutos Federais também configuram relatos de experiência.

Desse modo, cada número da revista é composto por trabalhos cujas bases se encontram no âmbito da pesquisa (artigos acadêmicos), do ensino (narrativas de ensino) e da extensão (relatos de experiência). 

 

PROCESSO DE AVALIAÇÃO CEGA PELOS PARES

Os textos submetidos à LínguaTec serão avaliados por membros do Conselho Editorial e por dois pareceristas ad hoc, por meio do sistema de apreciação sigilosa por pares que preserva a identidade dos autores e suas afiliações, bem como a dos avaliadores ad hoc.

Os Editores avaliam as submissões e encaminham as que atendem ao escopo da LÍnguaTec aos membros do Conselho Editorial. É responsabilidade do Conselho Editorial encaminhar os manuscritos aos pareceristas ad hoc. Dá-se preferência a avaliadores externos à instituição. Sua escolha é realizada de acordo com análise de currículo e áreas de interesse do avaliador.

Os pareceristas seguem os critérios estabelecidos nas Diretrizes para Autores. Eles podem indicar o aceite do texto para publicação, o aceite com ressalvas e a recusa de publicação. Em caso de aceite com ressalvas, a publicação estará condicionada à alteração do texto, atendendo aos comentários dos avaliadores. O aceite com ressalvas dará, no máximo, uma oportunidade de o autor modificar o texto para que este chegue à condição de aceite.

Quando um texto obtém dois pareceres divergentes, o manuscrito é submetido a um terceiro parecerista, para que se possa tomar uma decisão por maioria de votos.

Independentemente do parecer, o Conselho Editorial enviará ao autor um posicionamento sobre a avaliação do texto submetido.

 

INTEGRIDADE E PREVENÇÃO DE PLÁGIO

Como parte das ações de valorização da integridade acadêmica e prevenção do plágio nas das publicações credenciadas no Portal, a revista LínguaTec, adota o serviço de identificação de similaridade de textos utilizando a ferramenta CopySpiderferramenta freeware para testar documentos sob o crivo de existência de cópias indevidas de outros documentos disponíveis na internet. Além disso, os textos submetidos à revista também serão verificados pelo software iThenticate.

Em caso de identificação de plágio no artigo, em qualquer etapa do processo, a submissão é rejeitada e arquivada e os autores informados na sequência. Plágio é considerado crime de violação de direito autoral previsto no Código Penal brasileiro e na Lei Nº 9.610.

 

TAXAS PARA SUBMISSÃO E PUBLICAÇÃO DE TEXTOS 

A LínguaTec não cobra nenhuma taxa (APC) por textos publicados e tampouco pelos submetidos para avaliação, revisão, publicação, distribuição ou download. A publicação é totalmente gratuita de acesso aberto.

 

PERIODICIDADE

A LínguaTec possui periodicidade semestral (janeiro-junho e julho-dezembro). Os números são publicados nos dias 20 de junho e 20 de novembro de cada ano.

O tempo para a conclusão de uma avaliação, considerando a data de submissão e a data de publicação do trabalho, não excede 6 meses.

 

POLÍTICA DE ACESSO LIVRE

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 Esta revista está licenciada sob Licença Creative Commons CC BY-NC - Uso Não Comercial (NC).

 

POLÍTICA DE PRESERVAÇÃO DIGITAL E DE ARQUIVAMENTO

A LínguaTec está hospedada no Portal de Periódicos do IFRS, o que garante a preservação de seu conteúdo digital a partir de cópias de segurança realizadas periodicamente pelo IFRS. Além disso, o periódico faz parte dos Portais de Periódicos Preservados pela Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital (Rede Cariniana). Como iniciativa do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), a Rede Cariniana faz parte do programa Lots of Copies Keep Stuff Safe (LOCKSS), da Stanford University, EUA, que fornece software livre de preservação digital para bibliotecas e editoras, com vistas à preservação de conteúdos digitais permanentes e originais, assim como à garantia de acesso a esses acervos.

 

HISTÓRICO DA REVISTA

No final do ano 2015, após participar de diferentes âmbitos de reflexão, tais como congressos, bancas de pós-graduação e até mesmo conversas de corredor com nossos pares, nos quais se faziam presentes, com bastante insistência, temáticas como o papel do professor e os objetivos da docência na área de Letras, concernentes à Educação Profissional e Tecnológica - recentemente revigorada no Brasil -, começamos a ficar inquietas e a ansiar respostas às perguntas que emergiam dessa nova realidade que se apresentava para nós.

A revista LínguaTec foi criada, portanto, a partir de reflexões sobre as especificidades do ensino de línguas e literaturas em instituições como o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), nosso local de trabalho naquele momento. Nos perguntávamos: o que o IFRS (e outros IFs) tem de diferente das demais instituições de ensino básico, privadas ou públicas, estaduais ou municipais? A resposta encontrada na época foi que o ensino propedêutico estava integrado à formação profissional e tecnológica do estudante. A revista, então, surgiu com o objetivo de atender esse público específico, ou melhor, os docentes que atuam nesses espaços educativos, como uma oportunidade de diálogo.

O escopo inicial da LínguaTec, portanto, foi o ensino-aprendizagem de línguas e literaturas em contextos de ensino tecnológico, de nível médio e superior. Tal escopo representava a nossa busca pela criação de um espaço, até então inexistente no Brasil, dedicado especificamente às questões das línguas e das literaturas no contexto da Educação Profissional e Tecnológica.

Ao investigar um pouco mais as práticas docentes nessas instituições (que não são somente Institutos Federais, mas Colégios Técnicos ou de Aplicação vinculados a diferentes universidades e escolas público-privadas), cerca de dois anos depois da criação da revista, pareceu-nos pertinente ampliar seu escopo, englobando outras duas temáticas: o Ensino de Línguas para Fins Específicos (ELFE) e o ensino mediado por Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação (TDICs).

Com muita alegria, hoje, colhemos os frutos de um caminho nada fácil para criar, desenvolver, manter e sempre melhorar (layout da página, atualização do sistema, diálogo com autores e pareceristas, adequação aos indexadores, articulação com Conselho Editorial, entre tantos outros aspectos) a revista LínguaTec.

Esperamos que os leitores da revista tenham, ao entrar em contato com os trabalhos nela publicados, o mesmo entusiasmo que nós tivemos ao longo do processo de criação e consolidação da LínguaTec como um espaço para a perpetuação e a divulgação de investigações e práticas que concretizam a importância da educação linguística e literária na formação integral dos alunos.

 

Cordialmente,

Glenda Heller Cáceres e Maitê Moraes Gil

Fundadoras da Revista LínguaTec