Ensino de línguas e formação profissional em contexto de fronteira: motivações e representações do francês no Amapá

  • Mileny Távora de Mendonça Universidade do Estado do Amapá
Palavras-chave: Formação profissional, Ensino de Línguas, Fronteiras

Resumo

O presente trabalho, face às novas orientações da política linguística educativa brasileira que privilegia o ensino da língua inglesa em todo o território nacional, apresenta um estudo exploratório-descritivo das motivações e representações linguísticas de estudantes de Francês Língua Estrangeira (FLE) no Amapá e propõe uma reflexão sobre o ensino de línguas e a formação para o trabalho em um contexto de fronteira. Fundamentado em pressupostos da Política Linguística Educativa, cotejando conceitos de motivação e representação linguística, a pesquisa busca correlacionar a demanda pela aprendizagem de uma LE aos aspectos geopolíticos que circunscrevem a escolha linguística dos falantes em uma região fronteiriça. A pesquisa de natureza qualiquantitativa, teve como instrumento de pesquisa o questionário semiestruturado, com questões abertas e fechadas. Foram aplicados 230 questionários a estudantes de francês no Amapá. Os resultados indicam que o ensino/aprendizagem do francês no Amapá está diretamente relacionado às perspectivas de trabalho da população local e especialmente de profissionais em busca de lugar no mercado de trabalho

Biografia do Autor

Mileny Távora de Mendonça, Universidade do Estado do Amapá
Professora de Língua Francesa da Universidade do Estao do Amapá, Mestre em linguística pela Universidade Federal do Pará e mestre em didática das línguas pela Universidades das Antilhas-Guiana. Atua com Metodologia de ensino de Francês língua estrangeira, estágio supervisionado, prática pedagógica na Graduação e com Interculturalismo no ensino de lìngua na especialização.

Referências

BAUER, M.W & GASKELL, G. Qualitative researching wich text, image and sound. A pratical handbook. London: Sage, 2000.

BEACCO, J-C & BYRAM, M. Guide pour l’élaborations des politiques linguistiques en Europe: de la diversité linguistique à l’éducation plurilingue. Division de politiques linguistiques. Conseil de l’Europe, Strasbourg, 2003.

CALVET, L-J. As políticas linguísticas. Tradução Isabel Duarte, Jonas Tenfen, Marcos Bagno – São Paulo: Parábola Editorial: Ipol, 2007.

CASTELLOTTI, V & MOORE, D. Représentations sociales des langues et enseignement. Étude de référence. Division des politiques linguistiques, Conseil de l’Europe, Strasbourg, 2002.

GARDNER, R.C. et LAMBERT, W. E. Attitudes and Motivation in Second Language Learning, Rowley, Massachusetts, Newbury House Publishers, 1972.

GUGLIANO A. Nas costas da globalização: as perspectivas dos países periféricos frente as transformações da economia internacional. In M. Ferreira; A. Gugliano (org.). Fragmentos da globalização na educação. Porto Alegre: ArtMed., 2000, pp. 63-76.

HARRÉ, R. Grammaire et lexiques, vecteurs des représentations sociales. Dans JODELET (ed). Les Représentations sociales. Paris: Presses Universitaires de France, 2011, pp. 131-151.

JODELET, Denise. Representações Sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001.

MOLINER, P. Images et représentations. De la théorie des représentations à l’étude des images sociales. Grenoble: PUG, 1996

MOLINER, P. La dynamique des représentatios sociales. Grenoble: Presses Universitaires de Grenoble, 2001.

PACHECO, J. A; PEREIRA, N. Globalização e identidade educativas. Rupturas e Incertezas. In: Revista Lusófona de Educação, 8, 2006, pp.13-28.

PETITJEAN, C. Représentation linguistiques et Plurilinguisme. These de doctorat. 488 fls. Faculté de lettres et sciences humaines, Université de Nauchâtel, 2009.

POIRIER, F. "Les stéréotypes", In: CAIN, Albane (ed.), L’enseignement de la civilisation (langues vivantes, second cycle), Paris: INRP, 1988, pp. 29-45.

SPINK, M. J. P. The Concept of Social Representations in Social Psychology. Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, 9 (3): 300-308, jul/sep, 1993.

WAGNER, W. Social representations and beyond : Brute facts, symbolic coping and domesticated words. In: Culture and psychology, 1998. 4 (3), pp. 297-329.

ZARATE, G. Représentations de l’étranger et didactique des langues. CREDIF, Collection Essais, Paris: Didier, 1993.

Publicado
2019-06-20
Seção
Artigos Acadêmicos