Em busca de pistas para desvendar o grande segredo: a gamificação na aula de Língua Portuguesa do Ensino Médio

Jamille Maria Nascimento de Assis

Resumo


Este trabalho busca promover, a partir do suporte de elementos teóricos, uma reflexão sobre a aplicação de uma atividade baseada na técnica dos jogos em Língua Portuguesa, aplicada com a turma de segundo ano do Ensino Médio integrado ao curso de Eletromecânica no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tencologia da Bahia, campus Simões Filho. Para tanto, leituras de textos de autores sobre psicologia da educação, tais como Jean Piaget e Isabel Alarcão e sobre a gamificação, com Jean Paul Gee e Bruno Medina se fizeram necessárias para apoiar a elaboração da atividade e para posterior avaliação. Para o primeiro contato com a gamificação, acredito que os objetivos principais tenham sido atingidos com os alunos: o desenvolvimento do trabalho em grupo, o aumento da autonomia em realizar pesquisas e da motivação, a organização de apresentações orais e o conhecimento sobre o ciclo cultural realista. A docente também pôde usufruir da reflexão sobre sua prática, vivenciando de fato a autonomia em construir sequências didáticas que estimulem a satisfação e a busca pelos conhecimentos. Advém disso a percepção de que a aprendizagem está em toda parte e o docente pode utilizar de diversas estratégias para fazer emergir essa realidade.

 


Palavras-chave


Língua Portuguesa; Gamificação; Autonomia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, I. A formação do professor reflexivo. In: ALARCÃO, I. Professores Reflexivos numa Escola Reflexiva. 3. ed. São Paulo: Cortez. 2004. p. 45-53.

ASSIS, M. de. Uns braços. In: ASSIS, M. de. Obra Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar 1994. v. II. p. 23-27.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: alfabetização em foco: projetos didáticos e sequências didáticas em diálogo com os diferentes componentes curriculares: ano 03, unidade 06 / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. - Brasília: MEC, SEB, 2012.

COUTINHO, M. T. da C. Teorias psicológicas dos processos de desenvolvimento e de aprendizagem. In: COUTINHO, M. T. da C.. Psicologia da educação: um estudo dos processos psicológicos de desenvolvimento e aprendizagem humanos, voltados para a educação: ênfase nas abordagens interacionistas do psiquismo humano. 10ed. Ver e ampl. Belo horizonte: Formato Editorial, 2004. p.73-92.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs. 2 ed. São Paulo: Ed. 34, 1997.

DOYLE, A. C. Um caso de identidade. In: DOYLE, A. C. Sherlock Holmes: obra completa. vol. 1. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014. p. 275-288.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros Orais e Escritos na Escola. Trad. e org. Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

GARDNER, H. Inteligências múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

GEE, J. P. Bons videojogos + boa aprendizagem: colectânea de ensaios sobre os videojogos, a aprendizagem e a literacia. Rio de Janeiro: Pedago, 2010.

KUENZER, A. Z. O ensino médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Revista Educação & Sociedade. Revista Quadrimestral de Ciência da Educação. Ano XXI, Abril, 2000.

LEMOS, V. Gamificação na educação profissional: uma alternativa aos desafios da contemporaneidade. Trabalho de conclusão de curso de especialização em Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Instituto Federal da Bahia, Salvador, 2015.

MEDINA, B. et al. Gamification, Inc: como reinventar empresas a partir de jogos. Rio de Janieor: MJV Press, 2013.

PIAGET, J. A equilibração das Estruturas Cognitivas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

LínguaTec, Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, Brasil, v. 1, n. 1, jan./jun. 2016.