A aprendizagem baseada em problemas (ABP) aplicada ao ensino de Química Inorgânica: as cores dos minerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v11.n2.a6209

Resumo

O objetivo deste trabalho foi analisar a aplicação da Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) na disciplina Química Inorgânica 2. O problema foi criado a partir da utilização das diferenças de cores entre o rubi e a safira, apesar de ambos serem derivados do coríndon. A metodologia consistiu na elaboração de um caso adotado em uma turma de Licenciatura em Química, com a avaliação da proposta pedagógica. Embora os resultados tenham mostrado que os estudantes ainda não conheciam a ABP, a metodologia foi bem avaliada por eles. A disciplina é muito teórica e a utilização de um problema real parece ter contribuído para o aprendizado e a motivação dos estudantes, visto que houve uma diminuição da taxa de reprovação comparada àquelas de anos anteriores. Como ainda é pequeno o número de trabalhos na literatura que abordem os conceitos de ligações químicas a partir de metodologias ativas, espera-se que esse trabalho estimule outros docentes a desenvolver novas estratégias e aplicar o método relatado neste artigo.

Palavras-chave: Aprendizagem Baseada em Problemas. Química de Coordenação. Cores dos Minerais.

Biografia do Autor

Renata Nunes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense - Campus Cabo Frio

Doutora em Química pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora Titular do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, do campus Cabo Frio.

Downloads

Publicado

2022-12-07

Como Citar

NUNES, R. A aprendizagem baseada em problemas (ABP) aplicada ao ensino de Química Inorgânica: as cores dos minerais. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 11, n. 2, 2022. DOI: 10.35819/tear.v11.n2.a6209. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/6209. Acesso em: 31 jan. 2023.