Repensando as práticas pedagógicas a partir do letramento visual e da acessibilidade das pessoas com impedimento auditivo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v10.n1.a4984

Resumo

Resumo: As informações chegam maciçamente na sociedade por meio de textos que podem ser falados, escritos, imagéticos e musicais, dentre tantas outras possibilidades. No entanto, preocupa-nos o acesso que os indivíduos com impedimentos auditivos têm às informações em uma sociedade em que a língua majoritária é a língua portuguesa oral e os registros acontecem, prioritariamente, por meio dessa língua oral na modalidade escrita. Refletindo sobre o potencial da escola como ambiente possível de estímulo à aquisição de língua e inserção em práticas sociais, destacamos o letramento visual e o pensamento computacional como importantes ferramentas na escolarização de discentes com impedimento auditivo. Este artigo tem como objetivo considerar o processo de desenvolvimento linguístico e escolar de discentes com impedimentos auditivos, destacando a proposta bilíngue como fator importante desse processo, aliado ao uso de estratégias e materiais didáticos acessíveis. A metodologia utilizada foi a pesquisa exploratória de cunho bibliográfico narrativo, a partir da qual buscamos estudos nas bases científicas e registros acadêmicos sobre o tema. Como resultado, identificamos que as pessoas com impedimento auditivo têm um potencial visual que deve ser estimulado na aprendizagem dos conteúdos. Quanto aos materiais bilíngues para o ensino da pessoa com impedimento auditivo, é imprescindível considerar o uso de imagens em contextos significativos. Por meio desta investigação concluímos que o tempo da imagem é o tempo da palavra, pois exige do professor bilíngue a maneira apropriada de criar diferentes materiais para os discentes, fomentando e apresentando conceitos de maneira que sejam internalizados e externalizados de forma eficaz e com autonomia. 

Palavras-chave: Educação inclusiva. Acessibilidade. Letramento visual.

Biografia do Autor

Ruth Maria Mariani Braz, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Ciências e Biotecnologia, do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense; Reconhecido o nível pela Universidade do Minho do doutoramento em ciências da Educação e realizei o doutoramento sanduiche na Universidade do Porto. Especialista ?Lato Sensu? em Educação Física Especial (Universidade Castelo Branco). Tenho a graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro ( UFRRJ) . Sou professor docente I - Secretária de Educação do Estado do Rio de Janeiro e professor do Curso de mestrado profissional em Diversidade e Inclusão da UFF. Atuei como coordenadora executiva do projeto Internacional Spread The Sign no Brasil e coordeno o núcleo de Inclusão Galileu Galilei. Sou orientadora de alunos do curso de Mestrado Profissional de Diversidade e Inclusão do Instituto de Biologia da UFF. Desenvolvo pesquisas ligada aos temas: Educação Inclusiva, Educação de Surdos, Tecnologia Assistiva, géneros; confeção de materiais didáticos adaptado, didática com o intuito de auxiliar os alunos com deficiências nas classes regulares de ensino, filosofia esta que defendo e é adotada atualmente nas instituições na qual trabalho. Tenho experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Inclusiva, tecnologia e didática, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de docentes, políticas publicas, diversidade, Interdisciplinaridade, sensibilização, adaptação e confecção de materiais didáticos e brincar. https://orcid.org/0000-0003-2224-9643 https://www.researchgate.net/profile/Ruth-Mariani-Braz 

Sandro Medeiros Portella, Universidade Federal Fluminense

Mestre em Ciências e Biotecnologia formado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências e Biotecnologia (CAPES 4,0) da Universidade Federal Fluminense - UFF (2018), Atua como Professor Bilíngue formado pelo Departamento de Ensino Superior (DESU) do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) com formação Bilíngue de Pedagogia (2014). Possui Especialização (lato sensu) em Educação de Surdos : uma perspectiva bilíngue em construção (2016) pelo Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) e em Docência do Ensino Superior (2018) pela Faculdade de Teologia Hokemãh (FATEH). Atualmente é Docente da Fundação Municipal de Educação de Niterói (FME), no cardo de professor Bilíngue e Professor Substituto do Ensino Fundamental I do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES/SEF1). Desenvolveu Treinamento e Capacitação Técnica no LaBiEMOL/UFF, como bolsista financiado pela FAPERJ por intermédio da Universidade Federal Fluminense - UFF. Colaborador do Núcleo de Inclusão Galeu Galile e participante do Grupo de Pesquisa CNPq: Tecnologias Computacionais no ensino e aprendizagem na ótica da Diversidade, Inclusão e Inovação.

Luciana da Silva Goudinho, Universidade Federal Fluminense

Mestre em Estudos de Literatura pela UFF com pesquisa voltada para o estudo de Histórias em Quadrinhos e o Romance Policial Brasileiro. Graduada em Letras - Português/Literatura com pesquisa na área da Semiótica pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente Professora Bilíngue concursada na Prefeitura de Niterói, desenvolvendo materiais adaptados em Libras para alunos das séries iniciais e Professora de Sala de Recursos Multifuncionais concursada na Rede Municipal do Rio de Janeiro, com foco na produção de materiais adaptados para alunos autistas e com dificuldades de aprendizagem. Certificada pelo PROLIBRAS para atuar como Tradutora Intérprete e Professora de Libras. Pesquisas e estudos voltados para o Ensino da Língua Portuguesa para Surdos e no Ensino de Libras para Classes de Ouvintes. Colaboradora do Projeto Galileu Galilei - Produção de materiais didáticos adaptados. Atualmente cursando Pós-Graduação em Tradução/Interpretação e Docência de LIBRAS pela Uníntese. Aluna do curso de extensão "Pensando a escrita do Surdo: descrição, demandas e propostas pedagógicas", promovido pelo Núcleo de Estudos sobre Interlíngua e Surdez (NEIS-UFRJ).

Sérgio Crespo Coelho da Silva Pinto, Universidade Federal Fluminense

Professor Adjunto na Universidade Federal Fluminense UFF. Vice Coordenador do Programa de Doutorado em Ciência, Tecnologia e Inclusão da UFF. Líder do grupo de pesquisa CNPq: Tecnologias Computacionais no ensino e aprendizagem na ótica da Diversidade, Inclusão e Inovação. É professor convidado no Programa de Mestrado em TICs na Universidade Tecnológica do Panamá. Possui graduação em Tecnólogo Em Processamento de Dados pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1987), Mestrado em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - COPPE-Sistemas (1995) e Doutorado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2000). Atuou como professor Titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos de 1990 a 2013, - Fez parte do comitê editorial da Revista Brasileira de Informática na Educação (1414-5685) . Passou de Abril de 2013 a Novembro de 2013 como Professor Visitante no DCC-UFMG. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Engenharia de Software, atuando principalmente nos seguintes temas: Diversidade e Inclusão, Educação a Distância, Informática na Educação e engenharia de software aplicada a educação.

Downloads

Publicado

2021-07-05

Como Citar

MARIANI BRAZ, R. M.; MEDEIROS PORTELLA, S.; DA SILVA GOUDINHO, L.; DA SILVA PINTO, S. C. C. Repensando as práticas pedagógicas a partir do letramento visual e da acessibilidade das pessoas com impedimento auditivo. #Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, Canoas, v. 10, n. 1, 2021. DOI: 10.35819/tear.v10.n1.a4984. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/tear/article/view/4984. Acesso em: 15 out. 2021.