O desempenho do programa Ciência Sem Fronteiras na Austrália sob o ponto de vista de especialistas australianos e latino-americanos

Autores

  • Dileine Amaral da Cunha Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e CNPq
  • Ivan Rocha Neto professor colaborador da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasília, DF, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.35819/tear.v5.n2.a2001

Resumo

Resumo: O presente texto teve o objetivo de analisar o desempenho do Programa Ciência sem Fronteiras na Austrália, de forma a testar a hipótese de que o programa foi importante para a formação de estudantes brasileiros de graduação egressos, no sentido de ter proporcionado experiências educacionais relevantes, tanto no plano acadêmico, quanto em termos de perspectivas para o futuro. A Austrália foi o terceiro maior receptor de estudantes brasileiros contemplados com bolsas de estudo na modalidade graduação sanduíche. Para tanto, foram entrevistados onze especialistas australianos e latino-americanos, com diferentes experiências profissionais sobre o processo de internacionalização da educação superior. A metodologia adotada envolveu pesquisa de natureza qualitativa, exploratória, com entrevistas semiestruturadas para a coleta de dados. A interpretação dos dados foi realizada, sobretudo, com base na análise de conteúdo proposta por Lawrence Bardin. Os resultados mostraram que o programa possibilitou mudanças importantes na vida pessoal e acadêmica dos egressos, tendo viabilizado o contato com a pesquisa e as redes de conhecimento. Entretanto, diante dos resultados e das discussões em torno de sua continuidade, torna-se necessário fazer mudanças que permitam o avanço continuado do processo de internacionalização da educação superior já iniciado.

Palavras-chave: Educação Superior. Internacionalização. Programa Ciência sem Fronteiras.

 

THE CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS PERFORMANCE IN AUSTRALIA IN THE LIGHT OF AUSTRALIAN AND LATIN-AMERICAN EXPERTS

Abstract: This paper aims to analyze the Ciência sem Fronteiras Program performance in Australia to test the hypothesis according to which the program was important to the nurturing of the Brazilian graduated university students, because it provided relevant educational experiences both in the academic arena and in terms of perspectives of future. Australia was ranked third in the list of countries receiving Brazilian students holding scholarships in the sandwich undergraduate modality. To that, eleven Australian and Latin American experts of different professional backgrounds were interviewed about the higher education internationalization process. The methodology adopted involved qualitative and exploratory research with semi-structured interviews to collect data. Data were construed mainly based on the content analysis proposed by Lawrence Bardin. Results showed that the program confered important changes on personal and academic lives of graduated students, allowing contact with research and knowledge networks. However, in face of the results and discussions about the continuity of the program, changes are required to allow advancing the existing process of higher education internationalization.

Keywords: Higher Education. Internationalization. Ciência sem Fronteiras Program.

 

Biografia do Autor

Dileine Amaral da Cunha, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e CNPq

Doutoranda em Educação em Ciência pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e analista em ciência e tecnologia do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Brasília, DF, Brasil.

Ivan Rocha Neto, professor colaborador da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasília, DF, Brasil.

Doutor em Eletrônica pela University of Kent, Canterbury, Reino Unido, e professor colaborador da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasília, DF, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-12-05

Edição

Seção

Seção Livre