A utilização do indicador de eficiência OEE (overall equipament effectiveness): estudo de caso em uma indústria farmacêutica

Autores

  • Marcio Alves Suzano Universidade Veiga de Almeida

DOI:

https://doi.org/10.35819/scientiatec.v7i2.3272

Palavras-chave:

Eficiência, Desempenho, OEE (Eficiência Global do Equipamento), Disponibilidade, Produtividade.

Resumo

A medição da eficiência de uma indústria vem se tornando cada vez mais essencial para a resolução de problemas, melhorando continuamente a eficácia dos equipamentos, identificando e eliminando as perdas de eficiência e reduzindo custos. Este artigo tem como objetivo descrever e analisar o indicador de desempenho OEE (Eficiência Global dos Equipamentos), contemplando suas fórmulas de cálculo e as perdas de eficiência envolvidas nos equipamentos de uma indústria farmacêutica. Será identificado durante o estudo que os motivos com maior frequência de parada serão organizacionais e técnicos. Tendo como o objetivo, eliminar perdas e sugestões de melhoria no decorrer do processo no resultado OEE. A análise desses resultados será feita a partir do desdobramento do índice de disponibilidade, diminuindo as paradas não programadas, reforçando a necessidade do emprego do indicador OEE, que está sendo utilizado em empresas de diversos ramos de atuação, pois é possível buscar a análise da produtividade do equipamento, promovendo melhorias no sistema produtivo

 

 

Biografia do Autor

Marcio Alves Suzano, Universidade Veiga de Almeida

Doutorando em Educação pela Universidad Internacional Iberoamericana - UNINI México. Mestre em Engenharia Naval e Oceânica pela COPPE/UFRJ. Especialista em Engenharia de Manutenção pela UNESA/RJ. Licenciatura Plena no Curso de Pós- Graduação da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo, no curso de Formação de Docentes com habilitação em Construção. Engenheiro Civil pela UNG/SP. Pesquisador pela UFF na Universidade Federal Fluminense (2017-2018) e pela COPPE / IVIG na Universidade Federal do Rio de Janeiro (2010-2016). Especialista em Avaliações realizadas pela Coordenação - Geral de Acreditação do INMETRO (CGCRE). Responsável Técnico (RT) e Diretor de Manutenção pela empresa AIRTHEC Soluções Aeronáuticas LTDA. Escritor de diversas obras na área da Aviação e Logística pela editora Interciência e PoDEditora. Professor das disciplinas de Logística, Produção, Materiais e Patrimônios, Gestão Estratégica, Planejamento e Controle da Manutenção, Gestão da Manutenção e Gestão do Sistema de Informações. Atualmente pela Universidade Veiga de Almeida - UVA no Rio de Janeiro, coordenador da Engenharia de Produção e professor da graduação nos cursos de Engenharia de Produção e Civil. Coordenador na Pós-Graduação no curso de Gestão da Manutenção com Ênfase em Aviação na modalidade presencial e Gestão de Manutenção de Aeronaves na modalidade EAD pelo grupo PHORTE. No IBMEC atua como professor da Pós CBA nos cursos de Logística e Gestão de Negócios nas disciplinas de Gestão de Estoque e Previsão de Demanda, Gestão de Operações e Gestão de Compras e Produção. No Instituto de Logística da Aeronáutica, lecionou nos diversos cursos de aperfeiçoamento na área de Planejamento. Tem experiência na área de Planejamento, Engenharia, Logística e Manutenção de Aeronaves Civis e Militares. Exerceu ainda a função de docente em diversas instituições de ensino no Brasil na área da Aviação, coordenação e supervisão do SILOMS, Sub-Módulo de Planejamento do Módulo Manutenção.

  

Downloads

Publicado

2020-07-31