O solo do Parque Farroupilha, Porto Alegre, RS

Bruno Crusius Luzzi, Helena Botelho Sena, Katrine Cristina de Lima Silveira, Telmo Francisco Manfron Ojeda

Resumo


O solo como meio de desenvolvimento da vegetação deve promover um ambiente adequado para que as plantas possam se desenvolver. O solo do Parque Farroupilha foi formado antropicamente a partir de sucessivos aterros, inclusive de lixo e entulho, de um material predominantemente arenoso, com menores proporções de silte e de argila. O objetivo deste trabalho é caracterizar o solo do Parque Farroupilha, formando um banco de dados inicial, capaz de subsidiar o manejo e a gestão ambiental do parque. A caracterização dos solos consistiu em observar in loco suas características, com auxílio de fotos, bem como na medida de temperatura e de pH. Observou-se que o solo possui composição arenosa. É notória a presença de poluentes, em especial objetos de plástico e de papel, e resíduos de construção civil. A fertilidade do solo provavelmente baseia-se no alto teor de matéria orgânica que o compõe, conferindo-lhe coloração escura, observando-se riqueza de organismos vivos em seu interior. O solo é ácido, sendo indicado um tratamento para a correção do pH.


Palavras-chave


Gestão Ambiental; Parques Urbanos; Solo; Parque Farroupilha; Porto Alegre

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Capa · Sobre · Pesquisa · Atual · Anteriores

ScientiaTec: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia do IFRS

Rua Cel. Vicente, 281 | Bairro Centro | CEP 90.030-041 | Porto Alegre/RS

E-mail: revista.scientiatec@poa.ifrs.edu.br 

 

Apoio: Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PROPPI) do IFRS.