Em tempos de ensino remoto: praticando Matemática no Google Forms a partir de um boletim epidemiológico sobre o Coronavírus-Covid-19

Autores

  • Marcos Antônio Guedes Caetano Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC/BA), Secretaria Municipal de Educação de Caravelas (SEMED), Caravelas, BA, Brasil https://orcid.org/0000-0002-2118-406X

DOI:

https://doi.org/10.35819/remat2021v7i2id4856

Palavras-chave:

Matemática, Resolução de Problemas, Covid-19, Google Forms

Resumo

Este trabalho visa tecer considerações sobre o desenvolvimento de uma atividade matemática remota junto aos alunos do 6º ano da Escola Municipal Claudionora Nobre de Melo, situada no município de Caravelas. A condução dessa prática pedagógica teve como ponto de partida um boletim epidemiológico sobre o Coronavírus-Covid-19 referente a esta localidade do Extremo Sul da Bahia. Tal estudo se justifica pelo fato de ser uma estratégia que possibilita o diálogo entre duas vertentes: o momento pandêmico atual e o conhecimento matemático, favorecendo assim o aprendizado dos conteúdos matemáticos. Nessa perspectiva, lança mão da metodologia de resolução de problemas a partir de situações matematizadas e com base nas reflexões freireanas, que propõe viabilizar a convivência com a Matemática, criando condições para que esse conhecimento seja construído. Com este direcionamento, apoia-se também na BNCC que retrata esse aspecto metodológico como um instrumento privilegiado no processo de ensino e aprendizagem do ensino fundamental. Para tanto, recorre ao Google Forms como recurso pedagógico e tecnológico, subsidiando o presente estudo e como forma de despertar o interesse do aluno. Tudo indica que fomentar ações de natureza interdisciplinar diversifica, dinamiza e enriquece o binômio ensinar e aprender de Matemática, o que de certo modo também estabelece relações entre o objeto matemático e acontecimentos reais vinculados às vivências dos alunos, como as questões de âmbito social, voltadas à área de saúde. São contextos viáveis e significativos de construção do exercício matemático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Antônio Guedes Caetano, Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC/BA), Secretaria Municipal de Educação de Caravelas (SEMED), Caravelas, BA, Brasil

Referências

BRASIL. A área de Matemática. In: Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. p. 265-320. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: jan. 2021.

CAETANO, Marcos Antônio Guedes. Dando vez e voz aos alunos da EJA: promovendo um fazer matemático dinâmico. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, SC, v. 4, n. 2, jul./dez. 2020a. DOI: https://doi.org/10.5965/259464124227.

CAETANO, Marcos Antônio Guedes. A Matemática a partir de um boletim epidemiológico (Coronavírus-Covid-19). 2020b. Disponível em: https://forms.gle/5DEiQpxwyLbmi8Yh7. Acesso em: jan. 2021.

CARAVELAS. Boletim Epidemiológico Coronavírus/Covid-19. Prefeitura Municipal de Caravelas. 11 ago. 2020. Disponível em: https://www.caravelas.ba.gov.br/coronavirus/. Acesso em: jan. 2021.

D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação Matemática: da teoria à prática. Coleção Perspectiva em Educação Matemática. Campinas, SP: Papirus, 1996.

DANTE, Luiz Roberto. Formulação e resolução de problemas de Matemática: teoria e prática. 1. ed. São Paulo: Ática, 2010.

DANTE, Luiz Roberto. Tudo é Matemática. 2. ed. São Paulo: Ática, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 12. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996a.

FREIRE, Paulo. Congresso de Educação Matemática. [Entrevista cedida a Ubiratan D’Ambrósio e Maria do Carmo Domite Mendonça]. 1996b. Disponível em:

https://www.youtube.com/watch?v=tKkkGY1co7s&t=226s. Acesso em: jan. 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. Disponível em: https://cpers.com.br/wp-content/uploads/2019/10/Pedagogia-do-Oprimido-Paulo-Freire.pdf. Acesso em: jan. 2021.

GROENWALD, Claudia Lisete Oliveira; SILVA, Carmen Kaiber da; MORA, Castor David. Perspectivas em Educação Matemática. Acta Scientiae, Canoas, RS, v. 6, n. 1, p. 37-55, jan./jun. 2004. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/view/129. Acesso em: set. 2020.

ONUCHIC, Lourdes de la Rosa. A resolução de problemas na Educação Matemática: onde estamos e para onde iremos? In: JORNADA NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 4., JORNADA REGIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 17., 2012, Passo Fundo. Anais [...]. Passo Fundo: Universidade de Passo Fundo, 2012. p. 1-15. Disponível em: http://anaisjem.upf.br/download/cmp-14-onuchic.pdf. Acesso em: ago. 2020.

POLYA, G. A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático. Tradução e adaptação: Heitor Lisboa de Araújo. Rio de Janeiro: Interciência, 1995. Disponível em: http://im.ufrj.br/~nedir/disciplinas-Pagina/Polya-Arte_Resolver_Problemas.pdf. Acesso em: jan. 2021.

SANTOS, Victor. Ensino remoto: como potencializar suas aulas com o Google Forms. Nova Escola, São Paulo, SP, 13 jul. 2020. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/19492/ensino-remoto-como-potencializar-suas-aulas-com-o-google-forms. Acesso em: jan. 2021.

SERRAZINA, Maria de Lurdes; RIBEIRO, Deolinda. As Interações na Atividade de Resolução de Problemas e o Desenvolvimento da Capacidade de Comunicar no Ensino Básico. Bolema, Rio Claro, SP, v. 26, n. 44, p. 1367-1393, dez. 2012. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/2912/291226280012.pdf. Acesso em: set. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-11

Como Citar

CAETANO, M. A. G. Em tempos de ensino remoto: praticando Matemática no Google Forms a partir de um boletim epidemiológico sobre o Coronavírus-Covid-19. REMAT: Revista Eletrônica da Matemática, Bento Gonçalves, RS, v. 7, n. 2, p. e2004, 2021. DOI: 10.35819/remat2021v7i2id4856. Disponível em: https://periodicos.ifrs.edu.br/index.php/REMAT/article/view/4856. Acesso em: 25 set. 2021.

Edição

Seção

Educação Matemática