Meninas e Jovens na Computação

  • Julia Marques Carvalho da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Marco Antonio Canossa Gostenski Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Leticia Heinzmann Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Maria Eduarda Romagna Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
Palavras-chave: Computação, Meninas, Jovens, Inclusão

Resumo

O projeto de extensão “Meninas e Jovens na Computação” tem o intuito de estimular a inclusão de mulheres e jovens na área da tecnologia da informação, devido ao fato de que ainda existe um desequilíbrio visível entre homens e mulheres no âmbito da computação e a desmotivação dos alunos na área. O objetivo do projeto é o de promover a inclusão de jovens e mulheres na área por meio da divulgação dos cursos oferecidos no IFRS-BG na área da computação. Como ações realizadas encontram-se: O oferecimento de cursos de desenvolvimento web dentre eles HTML Básico, CSS, JavaScript, Java, Lógica de Programação, PHP e MySQL. Metade das vagas de tais cursos foram reservadas para preenchimento exclusivo de mulheres, e a outra metade foi aberta para o público em geral, que tinha acesso ao curso através da plataforma Moodle, onde encontraram material didático e de apoio, como vídeos e atividades. Além dos cursos também houve eventos promovidos pelo projeto, como a pesquisa com os alunos matriculados em Informática para Internet do campus sobre a computação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - campus Bento Gonçalves (IFRS-BG) para entender o interesse dos alunos matriculados, os motivos de desistência e as experiências na área. Com isso nota-se o grande número de desistentes, dada a grande dificuldade da área e o desconhecimento sobre o que ela realmente ensina; o recebimento da comunidade trazida pelos próprios alunos para conhecer o campus e um pouco de HTML Básico, sendo que cada aluno de Informática para Internet trouxe um amigo, conhecido ou familiar e era responsável por auxiliá-lo durante a aprendizagem; eventos em parceria com as empresas da região para apresentar os alunos à comunidade; eventos externos de computação que durante o projeto incentivou os alunos a participarem por meio da divulgação e transporte; e também a organização da Olimpíada Brasileira de Informática no campus, contando com o oferecimento de minicursos nas linguagens de Python e Javascript sendo ministradas pelos próprios alunos, auxiliando no treinamento e preparo para as provas da mesma. O projeto mostra como consequência benefícios não só para a comunidade da região, como é um curso de ensino à distância e o perfil dos estudantes é diferenciado, o aprendizado é oportunizado para diversas áreas. Além de explicar a organização das linguagens propostas, também possibilita com que o aluno use do conhecimento para produções próprias e evolua suas habilidades com relação à área da informática. Ainda, o projeto proporciona a divulgação do déficit de mulheres na computação, incentivando a entrada ou permanência das mesmas. Acredita-se que com estas ações de aprendizagem e envolvimento de potenciais alunos, possa se atrair mais jovens que estejam interessandos na área, jovens que podem descobrir seu interesse e que descobrirão que a computação é mais do que eles imaginavam.