Implantação de área demonstrativa com forrageiras utilizadas na alimentação animal – Campo Agrostológico

  • Lucas Zaparoli Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Claudinei de Santi Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Juliano Hideo Hashimoto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Roger Posser Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
Palavras-chave: Forragicultura, Valor nutricional, Demonstração

Resumo

Os baixos índices produtivos brasileiros são normalmente associados à baixa produtividade e ao baixo valor nutritivo das espécies de gramíneas forrageiras comumente utilizadas no país. Com isso, é constante a busca por materiais forrageiros com alto potencial para produção de forragem de alta qualidade, e que possuam flexibilidade de uso sob corte ou pastejo. Dessa forma, a implantação do Campo Agrostológico justifica-se, uma vez que pode colaborar na formação acadêmica de uma ampla variedade de cursos do IFRS – Campus Sertão, além de tornar mais eficiente o ensino-aprendizagem através do conhecimento na prática do material de estudo, proporcionando a inter-relação entre disciplinas estudadas. Assim, o objetivo do projeto é promover o conhecimento de diferentes poaceas e fabaceas, tanto para estudantes como produtores e profissionais da área agrícola, fornecendo subsídios para que possam escolher adequadamente a forrageira para implementação em determinada área. Este ano a área destinada ao projeto foi alterada, tornando-o mais visível e de fácil acesso. Para isso, foi necessário a realização de práticas de manejo como dessecação da área, análise de solo, calagem e adubação, além da demarcação e plantio das espécies. Foi realizado o plantio e semeadura de 46 forrageiras em parcelas de 2 x 2m, as quais vem sendo utilizadas para aulas prática das disciplinas de Nutrição Animal, Forragicultura e Botânica, além de visitação por grupos de estudos do Campus como o GEPRUM (Grupo de Estudo e Pesquisa em Pequenos Ruminantes) e o GEPEL (Grupo de Estudos em Pecuária Leiteira). Ao longo do ano também foi realizado o controle de invasoras, corte das variedades quando necessário e cuidados para que não ocorra mistura do material das parcelas. Concomitante as atividades desenvolvidas no campo, foi realizada revisão bibliográfica para melhor entendimento das diferentes variedades, sabendo especificar valor nutritivo, produção de matéria seca, entre outros aspectos. Os resultados obtidos nesse projeto, além de aprofundar os conhecimentos pessoais, proporcionou que outros estudantes adquirissem maior conhecimento e conseguissem visualizar in loco diferentes espécies forrageiras que são utilizadas no país. Conclui-se assim, que o projeto está contribuindo para a formação profissional e pessoal dos bolsistas envolvidos, além de auxiliar professores e grupos de estudo, sendo de extrema importância para os estudantes do IFRS – Campus Sertão.

Publicado
2015-11-30