Qualidade de Vida e Saúde na Comunidade do Englert

  • Vinicius Kunz Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Leila de Almeida Castillo Iabel Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Rudi Facco Alves Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Marisângela Pungan Dezordi Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Luiz Valerio Rossetto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Jonatan Fernando Simon Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
Palavras-chave: Academia, Musculação, Qualidade De Vida, Saúde

Resumo

O IFRS - Câmpus Sertão localiza-se no Distrito Eng.º Luiz Englert, distante 15 km do município de Sertão, essa distância resulta na dificuldade da comunidade acadêmica e comunidade externa em praticar alguma atividade física de forma regular e sistematizada. Sabemos que a prática da atividade física traz uma melhora significativa na qualidade de vida das pessoas pois a necessidade de ter hábitos saudáveis de vida, tem sido divulgada na sociedade como forma de combater os danos causados à saúde, pela forma de vida urbana atual. Esta concepção mostra uma de suas faces na motivação para a prática de atividades físicas, a qual pode ser observada na procura e frequência aumentada às praças de esporte, lugares públicos destinados à prática do exercício físico aos clubes esportivos e às academias de ginástica. Sendo assim, coube à instituição através dos professores de Educação Física pensar uma forma de dirimir tais dificuldades. Criou-se o Laboratório Espaço Consciência Corporal - Academia (LECCA) a fim de atender ao conjunto de servidores e alunos que compõem a comunidade acadêmica do câmpus, além da comunidade externa. O Laboratório Espaço Consciência Corporal - Academia surge para atender uma antiga demanda do Câmpus Sertão no que diz respeito à prática de atividade física não desportiva. O Projeto de Extensão aqui proposto se apresenta então, com a pretensão de atender essa demanda e promover a saúde e a melhoria da qualidade de vida, abrindo um ambiente com equipamentos de 1ª geração, com a orientação de um qualificado quadro de professores de educação física. A relação Ensino, Pesquisa e Extensão se dá a partir da melhora da qualidade de vida de servidores, alunos e comunidade externa praticantes que poderão ter maior disposição no desempenho de suas funções. Para saber se a pratica de esportes estão trazendo resultados, os dados anotados e armazenados serão importantes para o acompanhamento de indicadores de saúde. O projeto que está se desenvolvendo nos propicia pensar em várias possibilidades de outros projetos, não só de extensão, como também de pesquisa. A abertura que se dá ao novo curso superior do câmpus, na área de informática que poderá desenvolver softwares que permitirão a total integração de dados para a elaboração do plano de exercício individual. Ocorre que em nosso câmpus, a área da saúde não é uma área de atuação direta, pois não temos cursos diretamente envolvidos, mas o grande desafio tem sido provocar alunos bolsistas e demais professores dos diversos cursos existentes a fazer uma ligação entre a educação física, e suas possibilidades de atuação, como a área dos alimentos, confecção de produtos alimentícios que tragam benefícios à prática da atividade física ou que contemplem uma boa recuperação energética, já na agropecuária, relacionado ao cultivo de produtos que contemplem maior valor energético com menor uso de agrotóxicos.

Publicado
2015-11-30