Consultoria em pecuária leiteira no município de Sertão e entorno

  • Tiago Alexandre Spolti De Nardi Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Leandro Sabei Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Frederico dos Santos Trindade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Pâmela Biffe Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Raquel Breitenbach Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
  • Rosangela Poletto Cattani Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão
Palavras-chave: Assistência Técnica, Bovinocultura Leiteira, Extensão Rural

Resumo

A mesorregião do Noroeste do RS é especializada na atividade leiteira e tem uma das maiores médias de produtividade do país. As crescentes exigências oriundas do consumidor e governo são evidentes sobre todos os elos da cadeia produtiva, o que tem demandado assistência na produção, transporte, processamento e conservação o leite e seus derivados visando à qualidade e a segurança alimentar. A consultoria e assistência aos produtores visa apoio técnico e socioeconômico para a sua permanência na atividade leiteira. Observando que há uma oferta limitada de entidades públicas e empresas privadas que trabalham com consultoria e assistência técnica na região, em 2014 surgiu no IFRS/Campus Sertão o projeto de extensão “Consultoria em pecuária leiteira no município de Sertão e entorno”. O mesmo tem como objetivo oportunizar aos produtores de Sertão e arredores, em sua maioria familiar, assistência técnica sem custo financeiro, uma vez que a consultoria é oferecida por discentes e docentes do Curso de Zootecnia. O projeto tem atuando em quatro grandes áreas, são elas: controle sanitário, planejamento forrageiro, manejo de ordenha e qualidade do leite e, gestão dos custos da atividade leiteira. No seu formato, o projeto permitiu a integração dos eixos do ensino, através da relação discente-docente, da pesquisa por fazer o uso de informações técnico-científicas e por fim, da extensão através da relação instituição-comunidade. Para tal, um questionário com perguntas abertas e fechadas foi elaborado pela equipe e posteriormente aplicado em 10 propriedades produtoras de leite; os dados coletados na primeira visita foram avaliados no âmbito das quatro áreas de atuação do projeto, permitindo detectar os principais gargalos, deficiências e carências de caráter técnico e de gestão. Na visita de retorno às propriedades, foi apresentado aos produtores um relatório com pontos positivos e sugestões de melhorias para a atividade, foram providas informações relevantes para o planejamento de algumas ações e para a tomada de decisões. Os pontos mais críticos observados foram: a falta de um programa de gestão dos custos da atividade leiteira, uma vez que os produtores não sabiam estimar o custo de produção do litro de leite; a deficiência de medidas de higiene do leite como o uso de pré-dipping na ordenha; a inexistência de planejamento forrageiro sazonal; carência de árvores e arbustos, ou a construção de sombra artificial para abrigo dos animais no calor intenso, o que reduz a produtividade e compromete o bem-estar dos animais. Este projeto de extensão tem se mostrado de extrema importância aos produtores de leite da região de Sertão, pois tem possibilitado melhorias ao sistema produtivo leiteiro sem ônus financeiro, enquanto favorecendo a formação e permanência do ciclo de desenvolvimento rural; já para os discentes, o projeto tem acrescido a sua formação técnico-científica e tem oportunizado o exercício do caráter extensionista e do empreendedorismo.
Publicado
2015-11-30