Tag Trash

  • Thaynan Ferreira Schroeder Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Júlia Boaro Pivatto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Giovana Flávia Rosin Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Jonas Rodrigues Ribeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Luciano Sitnievski Júnior Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Luiz Gustavo Galvan Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
  • Elizabeth Terezinha Pitt Giacomazzi Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Bento Gonçalves
Palavras-chave: Reciclagem, Conscientização, Teatro, Crianças

Resumo

Hoje em dia, ouvimos muito falar sobre a degradação do meio ambiente, as enxurradas e o esgotamento de recursos. Esses problemas geralmente estão relacionados a maus hábitos e ao descarte incorreto dos resíduos. Um dos pilares da recuperação do meio ambiente é a coleta seletiva que ajuda a aumentar a conscientização da população em relação à preservação do meio ambiente e ao consumo sustentável. As considerações expostas justificam pensar em um projeto que atenda à promoção da saúde através da integração escola-comunidade. O Nudec - Núcleo de Defesa Civil desenvolvido no IFRS – Campus Bento Gonçalves propõe uma ação voltada à importância de trabalhar o tema da Coleta Seletiva contribuindo para a educação ambiental das crianças e investindo nelas como disseminadoras da ação em seu convívio familiar. Para tanto, o projeto Tag Trash é desenvolvido com crianças entre 4 e 10 anos de escolas da cidade de Bento Gonçalves. No Tag Trash o tema lixo é tão amplo que provoca a busca de conhecimentos através de pesquisa bibliográfica (jornais, internet, livros, fôlderes, etc.), agregados a relatos de experiências de como as pessoas fazem a coleta do lixo que produzem. Optou-se por trabalhar com alunos do ensino fundamental considerando ser essa uma faixa etária em fase de aprendizagem e mais suscetível a mudanças, o que contribui para a realização de ações educativas ambientais. Como metodologia, adota-se uma breve introdução ao assunto seguida de um teatro e de uma dinâmica de grupo para consolidar as informações aprendidas. Essa dinâmica consiste em separar as crianças em equipes que se denominam fugitivos (resíduos orgânicos e recicláveis) e pegadores, cuja função será levar à sua respectiva lixeira apenas as etiquetas dos colegas do tipo de lixo correspondente. A finalidade do projeto é abordar os valores socioculturais, a educação ambiental e a promoção da saúde através da ludicidade, que é capaz de trabalhar o ensino-aprendizagem de maneira integrada entre a escola, a família e a iniciativa privada.

Publicado
2015-11-30