Lâmpadas Fluorescentes Contendo Mercúrio: Riscos e Alternativas

  • Cláudia Gomes Santos
  • Stefani Bilico Vieira
  • Paulo Roberto Janissek
  • Luis Rafael Bonetto
Palavras-chave: Lâmpadas fluorescentes, Mercúrio, Riscos

Resumo

O aquecimento do mercúrio (Hg) produz vapores tóxicos, corrosivos e mais densos que o ar. Quando inalado, ingerido ou em contato, pode causar irritação na pele, olhos e vias respiratórias, além de comprometer o sistema nervoso central, os pulmões e a tireoide. O mercúrio possui diversas utilizações, como em lâmpadas fluorescentes, que se não forem descartadas corretamente, podem provocar danos ambientais. Um dos objetivos desse trabalho é divulgar o quanto o mercúrio é útil, mas também tóxico em contrapartida, exigindo uma normativa na esfera nacional para reciclá­-lo, o que evitaria diversas doenças e problemas ambientais. Observações iniciais indicaram não haver locais de coleta adequados para lâmpadas com mercúrio, e que estas lâmpadas podem contaminar o lixo comum se não forem adequadamente segregadas. A metodologia de pesquisa envolve uma revisão teórica sobre lâmpadas fluorescentes e os riscos de contaminação de mercúrio no ambiente, além da identificação dos pontos de coleta, tanto próximo a nossa cidade quanto em todo o Brasil. Também será feita uma pesquisa de campo por meio de entrevistas com a comunidade, em locais que utilizam ou efetuam o recolhimento destas lâmpadas em Caxias do Sul para identificar o que é feito com as lâmpadas fluorescentes que chegaram ao fim da sua vida útil. Os resultados deste trabalho serão divulgados, de forma mais adequada, a ser identificados no decorrer do trabalho, dando ênfase aos pontos de coleta em Caxias do Sul. 

Publicado
2018-05-18
Edição
Seção
Ciências Exatas e da Terra - Ensino Médio -Técnico