Compêndio do Boas Práticas para o Bem-Estar Animal

  • Gabriele Frizzo Ribeiro
  • Thiago Panzenhagen
  • Caroline Dani Pelissari
  • Jeruza Indiara Ferreira
  • Gisele Bacarim
Palavras-chave: Animais de estimação, Abandono, Adoção responsável

Resumo

Animais domésticos são adotados por diferentes motivos, dentre os quais acompanhar e divertir famílias, no entanto, adoção e abandono ocorrem com a mesma facilidade.O abandono de animais de companhia, em especial cães e gatos, é um problema que afeta de maneira cada vez mais significante os grandes centros urbanos ao redor do mundo. Diariamente, é possível observar animais abandonados nas ruas das cidades, consequência de atitudes irresponsáveis, como a falta de esterilizações e guarda animal irresponsável. Segundo dados da Pontifícia Universidade Católica (PUC) da cidade de Campinas, o Brasil já soma até 30 milhões de animais abandonados. Em Caxias do Sul, o abandono de animais apresenta, proporcionalmente, situação semelhante ao restante do país. Em meio a essa realidade, objetivou-se criar um compêndio de boas ações para o bem-estar animal. Estas práticas incluem informações acerca de: esterilizações, a fim de orientar sobre a melhor maneira de reduzir a superpopulação de animais abandonados e, consequentemente, diminuir o número de doenças que este número de animais pode originar; guarda responsável, com o propósito de salientar que não basta ter o animal de estimação, é preciso ter os cuidados necessários para o seu bem-estar. Estão sendo confeccionadas utilidades pets com materiais reutilizáveis, reunindo utensílios anteriormente descartados em prol dos animais abandonados, além da divulgação de boas atitudes regionais e mundiais  por meio de uma página do Compêndio em rede social (Facebook). Adicionalmente, as ações serão divulgadas por meio de palestras em escolas e instituições do Bairro Fátima, em Caxias do Sul, e finalizadas com a produção de um documentário. Espera-se que estas ações modifiquem a maneira de olhar o animal, de forma que as pessoas passem a ser mais responsáveis ao adotar e, por serem mais responsáveis, não abandonem os mesmos.

Publicado
2018-05-18
Edição
Seção
Ciências da Saúde - Ensino Médio -Técnico